É só mais um bocadinho!

domingo, julho 11, 2010

O Eco...

Shiu! Tenho que contar isto em segredo porque fui ameaçada...
Ontem, fomos almoçar a Rio Maior. A Cacildinha tinha lá uns restos e palpita-me que os filhos já deitam restos pelos olhos... Assim, nada melhor do que chamar umas vítimas de Lisboa, que têm boa vontade e pensam que as pessoas de meios mais pequenos estão sempre com boas intenções... Ilusão citadina!
Obviamente que não quis espalhar migalhas em casa (e ainda bem, ou teríamos que as limpar no fim...) e acabou por montar uma mesita no meio dos perús e das moscas. E não, não vou falar da rã que me saltou para o peito e me fez voar tão depressa que, com certeza, a tenossinovite vai voltar...
Passo a descrever.
Chegámos um pouco atrasados já a prever a desgraça que nos esperava. O primeiro impacto (que nos fez logo antever o pior) foi ver a Tia de Alcobaça a apanhar moscas à mão...! Não me pronuncio sobre o método alcobacense de cativar insectos, mas já me custa ver as desgraçadas moscas (depois de chocalhadas) serem enfiadas no ralo do lava-loiça e lá irem na enchurrada. Traduzindo: apanha-as à mão, abana-as e afoga-as. E a Protectora dos Animais em silêncio...
A mesa até estava bem posta, se bem que os copos fossem só para enfeitar e tivéssemos que beber em copos de plástico. Não sou completamente contra os copos de plástico, mas não percebi o que lá estavam a fazer os de vidro se não eram para usar...
A Gosma comeu e bebeu até mais não. No fim, quem comeu rápido, ainda se safou. Quem demorou um pouco mais, tramou-se. Andou a recolher os restos dos nossos pratos para levar para o cão. Mais tarde, um telefonema traíu-a: a irmã e o cunhado iam jantar lá a casa e ela não estava para cozinhar...
Eu e a Gosma estivemos deitadas, numa mantinha à sombra, a conversar. E foi nessa altura que a rã resolveu atacar. Não nos venceu. Pegámos num pau e conseguimos ganhar terreno e expulsar a bicha. Os outros, entretanto, tinham ido sabe Deus onde ver os pavões. Que trouxeram uma carrada de penas, lá isso trouxeram. Eu nem quero pensar no modo como os animais são tratados ali.
Ao fim de muito tempo, conseguimos despegar daquele antro de tortura animal e fomos tomar café a um sítio muito simpático. Mas ainda não tinham impingido todos os morfes fora de prazo que por lá havia e, mal voltámos, montaram a mesa com os restos do almoço. Quem tirou algum proveito disso foram as moscas que, por serem aos milhares, não foram todas exterminadas pela Manuela. Aliás, ela já não estava a atinar bem com os insectos e acabava por dar grandes trolitadas nas rodelas de chouriço, espantada por elas não voarem... As cervejas que tinha emborcado também não estavam a ajudar muito!
Mas vocês já me conhecem e sabem que eu não gosto de dizer mal de ninguém e tento sempre ver o lado positivo das coisas. Foi o que tentei ontem. E, de facto, aprendi alguma coisa com isto tudo. Descobri que quando eu dizia glu-glu, ouvia aí uns 27 perús a responder em coro: glu-glu. E repeti aquilo várias vezes para despistar qualquer coincidência que me estivesse a baralhar a análise dos dados. Mas não... Aquilo confirmou-se: os perús fazem eco!

10 Comments:

Hihihihihihi, se eu adoro ler isto?! Sem dúvida!
Para um fim de tarde e quase inicio de semana, foi um relato para rir á gargalhada. Fantástico!
Xisinho grande Nelinha e uma ótima semana de trabalho, se não, de férias. muita saúde.
Natty

11/7/10 19:53  

Bem! Esse almoço pareceu-me um tanto para o rural, o que as meninas da cidade não estão habituadas. Agora vires para aqui dizer essas coisas da Cacildinha é que não, Maria Gosma. Ela é toda uma senhora,seja na cidade ou no meio da herdade. Realmente no campo tudo faz eco. Ainda me lembro de quando às vezes de noite em casa dos meus avós, vínhamos para o quintal, ouvir as nossas vozes. Quanto aos perus, eles respondem. Foi mais uma coisa que aprendeste ontem, sua peruaaaaa.
Estou a imaginar a aflição da Cacilda a ler este texto e a pensar que algumas de nós podem ter ficado xateadas por não serem convidadas. Sabendo como é a nossa Cacildinha, és muito má!!!!
Como disse a Vicentina, vamos lá mandar as fotos para a gente ver.
Tenho a certeza que essa tarde foi muito boa e em especial para a dona da casa.
Agora, quanto às minhas vacas, nem queiras saber!!!!! A minha vontade era deitar tudo pela janela. Mas pronto, já passou e as quiemaduras estão quase boas.
Beijocas e bom semana.

11/7/10 20:52  

Ai, menina Nela, é claro que ri um bocado, mas fico pensando nas pessoas que não conhecem a hospitalidade da Cacilda. Podem até acreditar em tudo o que você disse. Ela é uma lady! E sei do que falo, tive o prazer de me hospedar em sua casa, em dois endereços diferentes e foi o máximo! Só não tive o privilégio de conhecer a herdade, que também deve ser um lugar muito acolhedor.

Fico contente de saber que a mãozinha já está recuperada.

Quanto à Gosma, diga-me o que tanto faz esta mulher que simplesmente sumiu da blogosfera? Tenho saudades dela.

Beijos e uma ótima semana para você.

12/7/10 01:04  

Olá Nela. Venho dar-te uma sugestão: encontro, dia 23, 19h, Geladaria Emanha, Expo. O Flamingo Zé é o pretexto para nos vermos e rirmos um pouco. A Natália Estrelinha é a "Ralações Pública"... lol. gostava muito que aparecesses por lá. Beijinhos

12/7/10 09:41  

Tu não mereces as amigas que tens.

As pessoas abrem a porta de sua casa para te receber, dão-te tudo o que têm e podem e tu fazes uma coisa destas.

és horrível.

beijos.

12/7/10 12:32  

Sem comentários menina Nela.Mas mesmo assim ainda lhe dou um bjéééco.

Para as minhas amigas Cinda e Maysa os meus agradecimentos por me defenderem do linguado que a Nela descreveu. Obrigada um beijo para a Maysa e para a Cinda com saudades.
Gigi um beijo. Cacilda

12/7/10 20:14  

Pois está demais...está à moda da Nela, a Perua! Finalmente já sabe dizer glu-glu...mas depois de tanta bejeca (que ela diz que não bebeu...) imagino que quem fugiu super assustada foi a rã:)
Já cá fazia falta uma descrição destas - tou mesmo a imaginar a cena. Eheheh....

O que vale é que já todas sabemos que não falas verdade senão havia de ser bonito.

Beijocas para todas as meninas.

12/7/10 22:00  

Eheheheheh... olha o que eu perdi!!!
Sobre a rã achei o máximo!
Eu se fosse a Cacilda, não esquecia isto, e se te convidasse mais alguma vez, fazia raspas para o almoço.

O que vale é a gente já te conhece de gingeira...

13/7/10 16:49  

Eu não vos percebo. A vítima sou eu, mas eu é que levo...
Vejam o que a Cacildinha me enviou: um bjéééco...!
Um bjéééco...???? Que é isto?! Ainda está de ressaca???!

13/7/10 21:02  

hihihihihih
Mais nada a acrescentar
És o máximo!
Mas quem não te quee como visita sei eu quem é.
Livraaaaaa
Beijinhos

15/7/10 23:09  

Enviar um comentário

<< Home