É só mais um bocadinho!

quarta-feira, maio 26, 2010

Sintonização Colectiva

Nosso planeta passa por uma transformação sem precedentes. Muitas catástrofes estão acontecendo. Muitas iniciativas estão sendo tomadas para amenizar a situação actual.
Apesar disso, nem todas as pessoas podem fazer tudo aquilo que desejariam, pois, cada vez mais, a vida exige sérios compromissos de todos. Compromissos que, por vezes, tomam todo o tempo daqueles que gostariam de poder contribuir e ajudar a humanidade nesta época singular pela qual passamos.
Para compensar a falta de tempo na qual todos estão submersos, alguns grupos espiritualistas tiveram a excelente ideia de sincronizar suas meditações por cinco minutos, num horário comum, que permita à maioria das pessoas se interligarem, formando uma corrente mental, emocional e energética.

A iniciativa consiste no seguinte: todos os dias, das 23h00min às 23h05min, milhares de pessoas estarão enviando suas vibrações positivas ao planeta.

Não importa se você é católico, baptista, messiânico, espírita, budista, hinduísta, agnóstico, ateu, judeu, teosofista, gnóstico, confucionista, adventista, espiritualista, etc.
Enviar vibrações positivas nada mais é do que visualizar o planeta com harmonia, paz e amor, vibrando positivamente ou mentalizando o planeta sendo envolvido por energias benéficas com cores vibrantes, tais como o branco, o dourado e o violeta (que são os mais usados). Mas também podemos mentalizar o planeta e irradiar luz e paz como se estivéssemos fora do planeta.
Se você não acredita que seja possível enviar vibrações positivas ao planeta e aos seres humanos, não precisa abster-se deste momento. Poderá aguardar o período de 23h00min as 23h05min para, simplesmente, reflectir sobre possíveis soluções para os problemas actuais. Simbolicamente, saberá que milhares de pessoas estão fazendo o mesmo, apenas o fazem de forma diferente. O importante é a união dos pensamentos de todos, sabendo que estamos empenhando-nos no sentido de tornarmo-nos atentos e abertos aos problemas e dificuldades que assolam nosso planeta.

"A Terra não pertence ao homem; o homem é que a ela pertence. Disto nós sabemos. Todas as coisas estão interligadas, como os laços que unem uma família. O que acontecer com a Terra acontecerá connosco. O homem não teceu a teia da vida cósmica, ele é um fio da mesma. O que ele fizer para a Terra estará fazendo a si próprio".

sábado, maio 22, 2010

Almocinho do Mulherio...


Tive muita pena de não ir ao almoço na Expo com as amigas dos blogues, mas hoje impunha-se estar com outras amigas e fazer aquilo a que chamo "o almoço das saudosas".

A sério, é assim que marco estes almoços na minha agenda - almoço das saudosas.

Já não são só as saudades que nos unem... Já é também o gosto de estarmos juntas, de falarmos e falarmos e falarmos como se nos conhecessemos de sempre (e de certa forma, até é como se fosse assim... Sempre ouvimos falar umas das outras...). No entanto, o que nos une, o que acaba sempre por compôr a nossa conversa é sempre e sempre a Nicha.

Faz amanhã 8 meses que a Nicha mudou de sítio e nos deixou desnorteadas.

Aos poucos, vamos conseguindo encontrarmo-nos num mundo onde ela não está, mas é tal e qual como o anúncio: ... não é a mesma coisa. E conforme o tempo vai passando, vamos confirmando e tendo a certeza de que nunca mais será a mesma coisa. E é com isso que temos que viver. E viver bem. Diferente, mas bem.

Eu, a Ana, a Inês e a Isabel comemos bem, bebemos melhor (aliás, se fizermos isto muitas vezes, corremos o risco de nos encontrarmos nos AA's) e falámos, rimos, chorámos (eu não, claro!).

E, quando cheguei a casa, fui depositar uma flor (mais uma) junto da foto da Nicha, falei com ela e recordei-lhe a promessa que me fez. E que não tarda, vai cumprir!


sexta-feira, maio 14, 2010

O RS

Não vos tenho trazido notícias do RS, mas hoje tinha que vos dizer: ele precisa das nossas energias e da nossa mão.
As coisas complicaram-se, está internado e enfrenta um derradeiro desafio.
Precisa do nosso silêncio, do nosso sorriso doce e de toda a serenidade que lhe conseguirmos enviar.

quinta-feira, maio 13, 2010

81...

... mamãe faz anos hoje.

quarta-feira, maio 12, 2010

Comprem, meninas, comprem...

A Revista Telenovelas, já na próxima sexta-feira!
Uma excelente peça da Patrícia Pato sobre o Projecto Luz.
Um enorme agradecimento à Teresa Pais pela oportunidade.

terça-feira, maio 11, 2010

Aqui, mesmo à porta...


video

(Fotos de diversos autores...)

Y E SSS ! ! !


domingo, maio 09, 2010

Disto e daquilo...

Este fim de semana foi laréu até mais não... Hehehe...
Ontem, rumámos a Estarreja para estarmos presentes na inauguração da Exposição Rosa, Esperança na Casa da Cultura. Esta Exposição está inserida nas comemorações do 75º aniversário do Hospital Visconde de Salreu.
Antes de lá chegarmos, fizémos a obrigatória paragem na Mealhada para comer... salada...! Quando chegámos a Estarreja, fomos recebidos de uma forma que é díficil descrever. A nossa amiga Isabel Alegria, a senhora que "mandava naquilo tudo" (a Rosa), o Administrador do Hospital, o Vice-Presidente da Câmara, enfermeiros, médicos, todos, todos se excederam na organização da Exposição e na preparação de um lanche principesco. Só para vos dar uma ideia: os guardanapos eram... rosa e verde; o Bolo era verde com um laço rosa, as toalhas eram verdes... tinham autocolantes com um laço rosa. Tudo perfeito. A simpatia e o calor com que nos receberam foram perfeitos.
Só não foi perfeito o comportamento de algumas meninas do grupo. Eu já nem sei o que dizer para as desculpar perante quem nos recebeu tão bem, mas... Acreditam que, quando o médico residente do Hospital fez um pequeno intervalo nos seus afazeres (que serão muito e exigentes, com certeza) e veio petiscar qualquer coisa connosco, houve logo gentinha que tratou de explorar as suas competências técnicas e fazer-se de doente só para ter atenção?! A Margarida (que esteve sempre óptima e comeu que só visto) disse logo: Sr. Dr., acho que estou com gripe. Tenho andado com imensa tosse (não tinha tossido nem uma vez e tinha fumado que nem uma chaminé...) e estou com o pingo no nariz... O médico foi observá-la (Claro! As pessoas do Norte não sabem dizer que não...) e disse-lhe, polidamente: Ah, não é nada; se não melhorar e tiver febre, é melhor fazer um raio-x. A Margarida, rapidamente, diz: Já me sinto muito melhor. O Sr. Dr. tem uns olhos azuis como os do meu filho... O que é que ela queria dizer com aquilo??? E ficou melhor só de ele olhar para ela? Porquê? Foi por causa dos olhos azuis? São melhores para a gripe do que o Panasorbe...?
Bem, pode-se dizer que... enfim... estava... enfim... não sei! Mas não foi a única!
Estão a ver a Cacildinha e aquele ar de santa que ela tem? Veio logo a correr: Dr., Dr., tenho aqui um problema numa costoleta! A sério, foi o que ela disse...! O médico perguntou-lhe o que tinha acontecido e ela lá meteu os pés pelas mãos: ah e tal, caí... e bateu nalgum sítio? Ah, não sei, não senti nada. Mas agora, doi-me imenso. É aqui?, perguntava ele palpando-a nas costas. Um bocadinho mais abaixo. Não, mais acima. Não, mais para esse lado. Para o outro, para o outro... Ou seja, foi toda (a)palpada e o diagnóstico: Não é nada; espere que passe... Ficou toda contente pelo diagnóstico e... pela sessão de pouca vergonha...
A seguir, na altura de cortar o bolo, atracou-se ao Administrador do Hospital, um jovem senhor amoroso, e não o largou mais: Ah e tal, parecemos uns noivos.
Ela não anda bem! Não anda mesmo! A desgraçada da tia de Alcobaça foi jantar a casa da Cacildinha na sexta-feira e parece que ainda levou pior castigo do que o que ela própria nos obrigou a passar (lembram-se dessa história que eu contei?). Eu não gosto nada destas tricas, mas a verdade é para se dizer e, entre amigos, não vale a pena tentar tapar o sol com a peneira. Olha, parece que era mesmo uma peneira que lhe fazia falta, pois a Manuela contou que comeu arroz de pato, mas ainda encontrou uma ou duas penas no prato. Ao que parece, (e eu digo isto pelo que ouvi, embora não seja de intrigas) quis servir uma sopa (antes do arroz de pato e penas) instantânea (sabem? aquelas da Knorr), mas a Manuela dessa ainda se safou. Já do arroz doce não conseguiu. Teve que o comer e lá ficou sem a dentadura. Isto das dentaduras parece estar na moda, mas parece que o arroz doce estava bem pior do que o salame da semana anterior...
Digam-me: quem é que oferece arroz doce depois de arroz de pato? O arroz está em saldo?! Há excedentes de arroz este ano em Rio Maior???! Francamente!
Bom, mas isto foi um aparte (triste, mas não deixa de ser um aparte). Eu estava a contar a cena do médico e de como o seu merecido descanso foi cortado pela maluqueira destas senhoras...
Mas não pensem que isto é só das mulheres... Não! Infelizmente! Porque a seguir apareceu uma médica (especialista da dor) e que até comemorava os 25 anos de formatura, e não é que o Zé da Aldinha se pôs logo a jeito para lhe mostrar os joelhos cheios de mazelas e dores?! Aquilo foi indescritível. Uma vergonha completa. O responsável da Câmara tinha mostrado grande vontade em que fizéssemos uma representação em Estarreja, mas penso que esse projecto morreu assim que ele presenciou estes despropósitos.
Depois destes incidentes, rapidamente se acabou com os festejos e toca a sair dali depressa, enquanto o enxovalho ainda não tinha resvalado para o descalabro completo.
À noite, ainda fomos ao Cine-Teatro da terra ver o filho da Natty cantar num musical "Pedro e Inês". Nós já sabemos como canta o Miguel, mas não quisemos deixar de o ir aplaudir mais uma vez. E estivemos também a "tirar as medidas" ao teatro, ao palco, ao back-stage para, na hipótese do vereador se esquecer das tristes figuras da tarde, ainda actuarmos naquele excelente espaço. Era bom, era. Não fossem aquelas desmioladas terem estragado a nossa imagem e reputação.
O fim de semana ainda não acabou. Nós ficámos em Aveiro e fizémos uns bons passeios, mas isso vai ficar para depois que a história já está longa.

sexta-feira, maio 07, 2010

Nós somos simples...

... os homens é que complicam...

Bom fim de semana!

quarta-feira, maio 05, 2010

Oh prá gente tão gira...!

Hoje, houve almocinho para garantir que a ranhosa da Loulou vai mesmo embora para a terra dela...

Almoçámos bem e a conversa estava tão boa que roguei uma praga a quem ficou enquanto eu tive que ir trabalhar. Quanto à conversa propriamente dita não posso dizer nada... Mas, acreditem, foi de ir às lágrimas. Esta gente diz tanto disparate e com tanto despudor que só pode ser dos medicamentos que tomam...



(Foto - gentileza da Miss Gigi)

segunda-feira, maio 03, 2010

O XI Encontro das Ranhosas do Peito e do Coração

Eu nem era para escrever nada sobre o Encontro, mas como toda a gente escreveu, também vou escrever... Estão a ver o ataque especulativo da última semana à dívida soberana portuguesa?! O que veio a reboque da crise na Grécia?! Pois houve outro, parecidíssimo, ao meu salame.

Há que repôr a verdade. Vejam bem o dito cujo e digam-me que razão assiste a quem faz estas críticas:


Esqueci-me de dizer que já se descobriu de quem é a tal dentadura que ficou agarrada aos restos do salame. A foto anterior não vos sugere nada?! Pois, é mesmo da Gosma.


Ao que parece, a carreira de encenador não dá grande lucro (e a de advogado também não...), pelo que pudemos assitir a uma passagem de modelos numa passerelle muito ecológica (é o ano internacional da biodiversidade...), com amostra de piercing, um novo hair-styling e um outfit algo duvidoso...


Bem avisei a Aldinha que a menopausa já foi mãe de muita gente... Não ouviu e o resultado está aqui: entrou em trabalho de parto mesmo no meio do mato.

Mas erámos muitos e no meio de tanta gente houve quem se escapasse e disfarçasse o seu comportamento.

Fica aqui uma foto para uma amiga especial: a Zenite (mais conhecida por Zizi). E vejam lá o despropósito da Lina (a que também ficou com a esquelética agarrada ao salame) quando lhe apresentei a Zenite: Ah, isso é nome de electrodoméstico...! Eu nem sabia em que buraco me enfiar... Chega a ser quase impossível conviver com esta gente... Gentinha...

domingo, maio 02, 2010

A quem possa interessar...

Ontem, quando estive a arrumar o saco que trouxe do encontro, verifiquei que estava uma dentadura completa e uma esquelética com um só dente junto ao salame de chocolate. Entrega-se a quem provar pertencer...

sábado, maio 01, 2010

O caminho de volta...

Hoje, podia falar do 1º de Maio e de como foi importante para o mundo. Mas não vou falar disso, embora importante para mim.

Hoje, podia falar do 11º Encontro das Amigas do Peito e do Coração e de como foi maravilhoso. Mas não vou falar disso embora tenha sido grande e emocionante, como sempre. Apareceram meninas novas e, mais uma vez, pudemos confirmar que estas amizades crescem sólidas e ninguém sabe porquê. A organização esteve fantástica e as 3 magníficas engendraram uma surpresa bem gira. Aquela peça estava muito bem imaginada e dirigida a... enfim, isso agora não interessa. Tirando o meu salame de chocolate e a minha mega-tarte, o resto da comida não estava nada de especial, mas lá se comeu. O tempo ajudou e até esteve um solinho bem simpático. Tudo isto nos aquece o coração e faz acreditar que há coisas especiais e que, como especiais que são, embalam-se no peito e cuidam-se com muito mimo.
Podia falar de tudo isto e vou fazê-lo depois, juntando algumas fotos deste dia (as meninas que não tiveram propósitos de senhoras de respeito podem estar descansadas que não publico nada que as comprometa...). Podia falar de tudo isso, mas não hoje.

Hoje, quero dizer que estou muito, muito feliz por ter visto uma amiga a fazer o seu caminho de volta. Por voltar a ouvi-la desconversar com aquele humor todo especial que a caracteriza. Por ver as suas gargalhadas. Por perceber que se a cabeça dela já inventa bocas foleiras para dardejar, é porque está mais limpa, mais liberta e mais confiante. E por saber que o nosso futuro passa pelo futuro dela, mas que, principalmente, o nosso presente precisa do presente da presença dela.