É só mais um bocadinho!

terça-feira, abril 27, 2010

Um país que se preocupa com os seus doentes até ao fim da sua vida...!!!

A ministra da Saúde disse que 2010 será o ano de «maior lançamento» das unidades de cuidados paliativos no país e que vai aumentar para o dobro o número de camas em serviços de internamento deste tipo, noticia a Lusa.

«Na zona norte do distrito de Setúbal esta é a primeira unidade nestas condições de internamento, com oito camas, que a curto prazo vão passar a dez e depois o hospital pode vir a aumentar ainda a sua capacidade de internamento em cuidados paliativos», disse Ana Jorge, no Barreiro, durante a inauguração da Unidade de Cuidados Paliativos do Centro Hospitalar Barreiro Montijo.

A ministra considerou que 2010 será o ano de «maior lançamento das unidades para cuidados paliativos» em Portugal: «Tínhamos em funcionamento 119 camas e vamos passar quase para o dobro no final do ano em unidades de internamento».

A ministra defendeu, contudo, que as unidades não devem servir apenas para que os utentes possam estar internados. «Também pretendemos que estas unidades sirvam para poderem equilibrar os doentes, ver a medicação necessária e, em algumas circunstâncias, poderem voltar a casa com a apoio das equipas de apoio domiciliário que também têm formação em cuidados paliativos», disse.

Formação

Ana Jorge referiu ainda que este ano haverá também uma aposta na formação de 500 profissionais das equipas dos cuidados continuados, através de uma parceria com a Fundação Calouste Gulbenkian, e que vai decorrer uma formação, no Porto, no âmbito da dor crónica.

A Unidade de Cuidados Paliativos inaugurada esta terça-feira pela ministra recebeu os primeiros doentes a 22 de Abril, tem oito quartos individuais, com instalações sanitárias e duches adaptados a pessoas com mobilidade condicionada, e fica no Hospital de Nossa Senhora do Rosário, no Barreiro.

A directora do Centro Hospitalar Barreiro Montijo, Isabel Monteiro, anunciou que ainda em 2010 será lançado o concurso para mais oito camas no Hospital do Montijo.

«Fazemos o pleno do conjunto de serviços clínicos que se devem articular as unidades de cuidados paliativos», disse.

A coordenadora nacional dos serviços de cuidados continuados integrados, Inês Guerreiro, afirmou que apesar de as doenças das pessoas não serem curáveis, estas necessitam de apoio, cuidados e alivio do sofrimento, acrescentando que em breve o país terá o número de camas necessárias para dar apoio a estas pessoas.

«Estas unidades de cuidados paliativos são o sinónimo do desenvolvimento de um país que se preocupa com os seus doentes até ao fim da sua vida», concluiu.
(PortugalDiário online)

3 Comments:

Espero que, cada vez mais hajam pessoas preocupadas com os doentes oncológicos ou não.
Que lhes propocione melhor qualidade de vida e serenidade nessa altura das suas vidas!
A vossa Associação já o faz mas é preciso muito mais e que para além dos hospitais públicos outras entidades se juntem a vós!
Nem sei se deu para entender...sabem como sou a escrever :o(
Beijinhos

27/4/10 20:46  

Beijinhos Nela

28/4/10 18:56  

Beijinhos, Nela
TP

30/4/10 00:27  

Enviar um comentário

<< Home