É só mais um bocadinho!

sexta-feira, abril 30, 2010

Bom fim de semana


Este fim de semana vai haver picnic no campo... Como se não bastasse a perspectiva de ser abocanhada por um exército de formigas e de melgas (várias raças de melgas...), ainda tenho (eu...!) que preparar a ração para as gosmas que se atiram para o chão a fim de não porem os pés no emprego! Vale tudo... É o que se queira... A Segurança Social paga!

terça-feira, abril 27, 2010

Um país que se preocupa com os seus doentes até ao fim da sua vida...!!!

A ministra da Saúde disse que 2010 será o ano de «maior lançamento» das unidades de cuidados paliativos no país e que vai aumentar para o dobro o número de camas em serviços de internamento deste tipo, noticia a Lusa.

«Na zona norte do distrito de Setúbal esta é a primeira unidade nestas condições de internamento, com oito camas, que a curto prazo vão passar a dez e depois o hospital pode vir a aumentar ainda a sua capacidade de internamento em cuidados paliativos», disse Ana Jorge, no Barreiro, durante a inauguração da Unidade de Cuidados Paliativos do Centro Hospitalar Barreiro Montijo.

A ministra considerou que 2010 será o ano de «maior lançamento das unidades para cuidados paliativos» em Portugal: «Tínhamos em funcionamento 119 camas e vamos passar quase para o dobro no final do ano em unidades de internamento».

A ministra defendeu, contudo, que as unidades não devem servir apenas para que os utentes possam estar internados. «Também pretendemos que estas unidades sirvam para poderem equilibrar os doentes, ver a medicação necessária e, em algumas circunstâncias, poderem voltar a casa com a apoio das equipas de apoio domiciliário que também têm formação em cuidados paliativos», disse.

Formação

Ana Jorge referiu ainda que este ano haverá também uma aposta na formação de 500 profissionais das equipas dos cuidados continuados, através de uma parceria com a Fundação Calouste Gulbenkian, e que vai decorrer uma formação, no Porto, no âmbito da dor crónica.

A Unidade de Cuidados Paliativos inaugurada esta terça-feira pela ministra recebeu os primeiros doentes a 22 de Abril, tem oito quartos individuais, com instalações sanitárias e duches adaptados a pessoas com mobilidade condicionada, e fica no Hospital de Nossa Senhora do Rosário, no Barreiro.

A directora do Centro Hospitalar Barreiro Montijo, Isabel Monteiro, anunciou que ainda em 2010 será lançado o concurso para mais oito camas no Hospital do Montijo.

«Fazemos o pleno do conjunto de serviços clínicos que se devem articular as unidades de cuidados paliativos», disse.

A coordenadora nacional dos serviços de cuidados continuados integrados, Inês Guerreiro, afirmou que apesar de as doenças das pessoas não serem curáveis, estas necessitam de apoio, cuidados e alivio do sofrimento, acrescentando que em breve o país terá o número de camas necessárias para dar apoio a estas pessoas.

«Estas unidades de cuidados paliativos são o sinónimo do desenvolvimento de um país que se preocupa com os seus doentes até ao fim da sua vida», concluiu.
(PortugalDiário online)

domingo, abril 25, 2010

Uma ou outra novidade...

Os meus pulsos já vêem a luz do dia e puderam usufruir deste sol maravilhoso: estou melhor e já me deixei de elásticos...

Ontem, foi dia de almoço do Clube das Mongas. Entre risos e lágrimas (lágrimas boas), festejámos o 25 de Abril, contámos histórias desse tempo e brindámos a Nós!

E pode lá ser que tenha sido há 36 anos...! Lembro-me de todos os pormenores desse dia. Tinha 13 anos. Uma semana depois adoeci e estive deitada durante meio ano. Assisti a tudo pela televisão...

quinta-feira, abril 22, 2010

Hoje foi dia de Centro de Saúde...

Hoje, foi dia de levar mamãe à Sra. Dra. E como mamãe é teimosa como... teimosa, pronto!, acha que a única médica boa no mundo é a sua médica de família do Centro de Saúde. O facto de termos chegado lá às 11h00 e termos saído às 17h00 parece não ter grande relevância...
Bom, adiante... As coisas estão a evoluir bem e fará novos exames de rotina daqui a 3 meses +/-.
Está a levar umas injecções para uma ciática macaca e vamos esperar que passe.
Como devem calcular, aquelas horas na sala de espera sempre tem os seus atractivos, a saber:
  1. A senhora desculpe, também está para a Dra. XXX? Sim, estou. Ah, que boa médica, muito simpática, mas demora muito... E eu estou aqui sem comer. Só tomei o pequeno-almoço. E o meu coração já está muito fraquinho, mas também o que fazer? Já são 82 anos... Acho que vou comer. Se ela me chamar, diga que fui ao bar... (será que a senhora acha que comendo o coração fica mais forte? E como é que eu sei que a médica a chamou? Como é que ela se chama?)
  2. Conversa telefónica de um senhor obeso: oh pá, nós somos muito parecidos. Eu também sou muito negativo, desconfiado e espero sempre o pior. Mas tu sempre tens mais saúde... Ah?! Ah, pois! Sim, mas olha que eu já tenho uma tentativa de suicídio na minha ficha... E agora não esperava que os gajos da junta médica não me dessem mais baixa... Pois, isso tu não tens que aturar. Não tens um patrão a chatear-te os ouvidos. Tu também te enervas com as coisas. Quais coisas? Ora, as coisas da vida. Tu também te enervas com isso... Vamos ver se a médica me passa a declaração a dizer que eu não posso conduzir... Chau. depois falamos.
  3. Casal já com bodas de ouro festejadas: Ele: Toma lá o meu cartão. Ela: E para que é que eu quero o teu cartão? Tu é que tens que tomar conta das tuas coisas (em voz suficiente para ser ouvida em todo o 3º piso do Centro) e quando a médica te chamar eu não vou. Nem quero saber! (Mas como é boa senhora, foi com ele à consulta!).
  4. Casal jovem (ela, grávida) e pai dela. A rapariga desesperava e só tinha chegado meia-hora antes... Chamavam outra pessoa. Ela: Oh, que eu já não aguento isto! Vou lá e mando-a para aquela parte. E ela só vai se quiser... Chamavam outra. Ela: Ai! Ai! Eu vou-me a ela! (Não foi...).
  5. A senhora também está para a Dra. XXX? Isto é demais! Tanto tempo! A outra médica chegou aqui e já despachou uma sala de gente, esta é o dia todo... E eu estou cheia de dores no meu pé... Levantou-se e coxeou de forma a demonstrar o que havia dito.
  6. O senhor obeso, que já se tinha tentado matar, pergunta: A Sra. também está para a Dra. XXX? Sim! Ah, então vou ter muito que esperar... (e para não esperar, tentou passar-nos à frente e abalroar a médica antes de ela chegar à sala a chamar-nos. Acho que se vai tentar matar outra vez depois de ter levado com o meu olhar 33/B, devidamente condimentado com 5 horas de espera...) Hás-de passar à frente, hás-de!

Pronto, eu até nem tinha nada que fazer e isto veio mesmo a calhar...

A propósito de gatos - que eu adoro...!




ॐ Homens e gatos possuem a mesma região do cérebro responsável pelas emoções.

ॐ O cérebro do gato é mais similar ao do homem do que ao do cão.

ॐ O gato possui mais ossos do que os humanos. Enquanto o homem possui 206, os gatos possuem 245 ossos.

ॐ Os gatos possuem 30 vértebras, 5 a mais que os humanos.

ॐ Gatos possuem 32 músculos que controlam suas orelhas. Ele pode girar suas orelhas, independentemente, a quase 180 graus, e 10 vezes mais rápido do que o melhor cão de guarda.

ॐ A audição dos gatos é muito mais sensível do que a dos homens e cães. Seus ouvidos afunilados, canalizam e amplificam os sons como um megafone.

ॐ Os gatos ouvem até 65 khz (kilohertz), enquanto os homens ouvem até 20 khz.

ॐ Em proporção ao corpo, os gatos são os mamíferos que possuem os maiores olhos.

ॐ Um gato enxerga 6 vezes melhor do que um humano à noite, porque necessita de 1/6 da quantidade de luz necessária ao homem para enxergar.

ॐ Recentes estudos revelaram que os gatos podem ver o amarelo, azul e o verde. Ainda não se sabe ao certo, se conseguem ver o vermelho, provavelmente essa cor é vista como cinza ou preto..

ॐ O campo de visão de um gato é de 185 graus.

ॐ Os gatos sacrificaram os detalhes e as cores pela capacidade de enxergar com pouquíssima luz. Eles não conseguem enxergar pequenos detalhes, vêem o mundo desfocado.

ॐ Por serem muito sensíveis à luz, os olhos dos gatos possuem pupilas verticais.
Quando totalmente abertas, ocupam uma área proporcionalmente maior do que a pupila do homem.

ॐ No fundo do olho, os gatos tem uma camada de células denominadas “tapetum lucidum”. A luz, após absorção, é reflectida por essas células de volta para a retina, para que seus receptores tenham uma segunda chance de captá-la. Isso aumenta a eficiência dos receptores da retina em cerca de 40%.

ॐ Leva cerca de 2 semanas para o filhote ouvir bem e seus olhos abrem em média com 7 dias.

ॐ O gato possui aproximadamente 60 a 80 milhões de células olfactórias. O homem possui entre 5 a 20 milhões.

ॐ Os gatos possuem um órgão olfactório especial no céu da boca, chamado: Orgão de Jacobson. É um analisador de odores e é por isso que as vezes vemos os gatos abrir a boca estranhamente (riso sardónico), quando sente odores fortes.

ॐ O gato possui um total de 24 bigodes, agrupados de 4 em 4. Seus bigodes são usados para medir distâncias.

ॐ Gatos têm 30 dentes, enquanto os cães possuem 42. Os dentes de leite são substituídos pelos permanentes, por volta dos 7 meses de idade.

ॐ Os gatos andam na ponta dos dedos.

ॐ As patas do gato possuem receptores muito sensíveis que levam informações, na velocidade da corrente eléctrica, até o cérebro: exploram coisas novas, sentem os alimentos, a velocidade do que passa sobre elas.

ॐ O gato doméstico pode correr a uma velocidade de 50 km/h

ॐ Quase 10% dos ossos dos gatos se encontra na cauda, e esta é responsável pela manutenção do seu equilíbrio.

ॐ O gato doméstico é a única espécie que consegue manter a sua cauda erecta enquanto anda. A cauda também é demonstrativa do estado de humor do gato.

ॐ Quando o gato está assustado, seu pêlo se eriça por todo o corpo. Quando ele vai atacar, o pêlo se eriça somente numa estreita faixa sobre a coluna vertebral.

ॐ Gatos esfregam o rosto em objectos e pessoas para marcar com o seu cheiro, como uma assinatura. O odor é deixado por glândulas, que possuem na parte anterior do rosto.

ॐ Fêmeas esfregam o corpo em machos que querem e também, de uma forma geral, todos se esfregam naqueles que sabem serem maiores e mais fortes, mas não quer dizer que o considerem superiores. É uma deferência e um pedido de amizade.

ॐ O Maicis, o primitivo ancestral dos gatos, era uma pequena criatura que vivia em árvores há 45/50 milhões de anos.

ॐ O Maine Coon é a única raça natural de gatos da América.

ॐ Existem cerca de 100 raças de gatos.

ॐ Gatos respondem mais facilmente a nomes terminados com som “i”.

ॐ O gato treme quando sente muita dor.

ॐ O ronronar nem sempre é por alegria e prazer. Alguns gatos ronronam alto quando estão muito assustados ou com dor.

ॐ Gatos selvagens miam muito menos do que os domésticos. Isso se deve ao fato dos gatos aprenderem que miando chamam a atenção do homem para suas necessidades.

ॐ Os gatos são muito limpos e passam cerca de 30% de sua vida se limpando.

ॐ Quando se lavam, os gatos perdem quase tanto líquido quanto perdem na urina.

ॐ Gatos adultos e sadios passam 15% de sua vida em sono profundo. Em sono leve por 50% de sua vida, o que deixa apenas 35% do tempo no estado acordado. Mas passam do estado de sono profundo para acordado e alerta, mais rápido do que qualquer espécie.

ॐ Um gato é capaz de pular 5 vezes a sua altura.

ॐ O gato sempre cai de pé, desde que o tempo de queda seja suficiente, para que ele gire seu corpo e se defenda da queda, amortecendo o impacto.

ॐ A expectativa de vida de um gato de rua (sem dono) é de cerca de 3 anos. Um gato com dono e dentro de casa, pode chegar a 16 anos. Uma fêmea chamada “Ma”, viveu por 34 anos, sendo o gato que viveu mais tempo, que se tenha registo, até hoje.

. Para calcular a idade do seu gato, considere que o primeiro ano de vida equivale à 15 anos humanos. Adicione 4 (anos) a cada ano a mais de vida que ele tiver.

terça-feira, abril 20, 2010

Almocinho

Que bem que sabe almoçar com uma amiga...!
Hoje, fui almoçar com a Gigi. Oh Mamma Mia, comemos spaguetti carbonara e spaguetti al pesto... Delicioso! Tal como a conversa...
Falámos... Falámos... Falámos...


sexta-feira, abril 16, 2010

Bom fim de semana!!!

quarta-feira, abril 14, 2010

A morte da executiva bem-sucedida

Foi tudo muito rápido.
A executiva bem-sucedida sentiu uma pontada no peito, vacilou, cambaleou. Deu um gemido e apagou-se. Quando voltou a abrir os olhos, viu-se diante de um imenso Portal.
Ainda meio tonta, atravessou-o e viu uma miríade de pessoas. Todas vestindo cândidos camisolões e caminhando despreocupadas. Sem entender bem o que estava a acontecer, a executiva bem-sucedida abordou um dos passantes:
- Enfermeiro, eu preciso voltar com urgência para o meu escritório, porque tenho um meeting importantíssimo. Aliás, acho que fui trazida para cá por engano, porque o meu seguro de saúde é Platina, e isto aqui está a parecer-me mais a urgência dum Hospital público. Onde é que nós estamos?
- No céu.
- No céu?...
- É.- O céu, CÉU...?! Aquele com querubins, anjinhos e coisas assim?
- Exacto! Aqui vivemos todos em estado de graça permanente.
Apesar das óbvias evidências, ausência de poluição, toda a gente a sorrir, ninguém a usar telemóvel, a executiva bem-sucedida levou tempo a admitir que havia mesmo batido a bota.
Tentou então o plano B: convencer o interlocutor, por meio das infalíveis técnicas avançadas de negociação, de que aquela situação era inaceitável. Porque, ponderou, dali a uma semana iria receber o bónus anual, além de estar fortemente cotada para assumir a posição de presidente do conselho de administração da empresa.
E foi aí que o interlocutor sugeriu:
- Talvez seja melhor a senhora conversar com Pedro, o coordenador.
- É?! E como é que eu marco uma audiência? Ele tem secretária?
- Não, não. Basta estalar os dedos e ele aparece.
- Assim? (...)
- Quem me chama?
A executiva bem-sucedida quase desabava da nuvem. À sua frente, imponente, segurando uma chave que mais parecia um martelo, estava o próprio Pedro.
Mas, a executiva tinha feito um curso intensivo de approach para situações inesperadas e reagiu logo:
- Bom dia. Muito prazer. Belas sandálias. Eu sou uma executiva bem-sucedida e...
- Executiva... Que palavra estranha. De que século veio?
- Do XXI. O distinto vai dizer-me que não conhece o termo 'executiva'?
- Já ouvi falar. Mas não é do meu tempo.
Foi então que a executiva bem-sucedida teve um insight. A máxima autoridade ali no paraíso aparentava ser um zero à esquerda em modernas técnicas de gestão empresarial. Logo, com seu brilhante currículo tecnocrático, a executiva poderia rapidamente assumir uma posição hierárquica, por assim dizer, celestial ali na organização.
- Sabe, meu caro Pedro. Se me permite, gostaria de lhe fazer uma proposta. Basta olhar para essa gente toda aí, só na palheta e andando a toa, para perceber que aqui no Paraíso há enormes oportunidades para dar um upgrade na produtividade sistémica.
- É mesmo?
- Pode acreditar, porque tenho PHD em reorganização. Por exemplo, não vejo ninguém usando identificação. Como é que a gente sabe quem é quem aqui, e quem faz o quê?
- Ah, não sabemos.
- Percebeu? Sem controlo, há dispersão. E dispersão gera desmotivação. Com o tempo isto aqui vai acabar em anarquia. Mas podemos resolver isso num instante implementando um simples programa de targets individuais e avaliação de performance.
- Que interessante...
- É claro que, antes de tudo, precisaríamos de uma hierarquização e um organograma funcional, nada que dinâmicas de grupo e avaliações de perfis psicológicos não consigam resolver.
- !!!...???...!!!...???...!!!
- Aí, contrataríamos uma consultoria especializada para nos ajudar a definir as estratégias operacionais e estabeleceríamos algumas metas factíveis de leverage, maximizando, dessa forma, o retorno do investimento do Grande Accionista... Ele existe, certo?
- Sobre todas as coisas.
- Óptimo. O passo seguinte seria partir para um downsizing progressivo, encontrar sinergias high-tech, redigir manuais de procedimento, definir o marketing mix e investir no desenvolvimento de produtos alternativos de alto valor agregado. O mercado telestérico, por exemplo, parece-me extremamente atractivo.
- Incrível!
- É óbvio que, para conseguir tudo isso, teremos de nomear um board de altíssimo nível. Com um pacote de remuneração atraente, é claro. Coisa assim de salário de seis dígitos e todos os fringe benefits e mordomias da praxe. Porque, agora falando de colega para colega, tenho a certeza de que vai concordar comigo, Pedro. O desafio que temos pela frente vai resultar num Turnaround radical.
- Impressionante!
- Isso significa que podemos partir para a implementação?
- Não. Significa que a senhora terá um futuro brilhante... se for trabalhar com o nosso concorrente. Porque acaba de descrever, exactamente, como funciona o Inferno...

Max Gehringer (Revista Exame)
Hehehehe

terça-feira, abril 13, 2010

Tenossinovite - Episódio 2

Isto estava a correr muito bem. Tão bem que ontem, toda contente, até tirei os pulsos elásticos que tenho usado.

Pois, hoje ando com o braço esquerdo ao peito!

Durante a noite, devo ter dado algum jeito ao pulso esquerdo; parece que estava a ser torturada com choques eléctricos...

Antes, tinha dores a fazer alguns movimentos. Agora, não posso fazer movimento nenhum...

Raios partam isto!!! Só tem uma vantagem: a única coisa que faço é dar ordens!!!

segunda-feira, abril 12, 2010

Fogo!


Acreditem! Elas vêm de onde menos se espera...
Ainda estou em choque! Mas comecemos pelo princípio. O fim-de-semana prometia. Fomos almoçar a RM com a Cacildinha, o Ruinzinho e a Tia do Baça. Bom restaurante, boa comida, boa conversa, bom vinho. Tudo bom. Tudo cool.
Rumámos a São Martinho para a exposição de pintura da Alda. Quando se concretiza um sonho de uma Amiga, nós estamos lá! A tarde estava maravilhosa. A praia cheia. As esplanadas também. Os quadros da Alda (e das outras meninas) justificaram muito bem a nossa deslocação. Têm muito jeito! Acabámos a comer pevides e tremoços no muro da marginal... Maravilhoso!
Ah e tal, vamos para Alcobaça ver o espectáculo do Rodrigo Leão. Nós já tínhamos visto esse espectáculo em Sintra, mas resolvemos alinhar na loucura e ir até ao Cine-Teatro que tão boas recordações nos deu. Levantámos os bilhetes e fomos comer qualquer coisa antes da performance musical.
E aí é que a coisa ficou mais difícil. A Tia do Baça convidou-nos para petiscarmos lá em casa, em vez de irmos a um Restaurante. Aceitámos! Quanta inocência... Ah e tal, tenho lá uma sopinha, fruta, queijinhos... Ok, dissemos nós já um pouco de pé atrás. Mas não queríamos fazer a desfeita... Ok, comemos sopa. Mas afinal o que aconteceu foi:
1. Tivemos que comer na cozinha, no sítio do cão;
2. Tivemos que pôr uns pratitos (de sopa e só esses...) em cima do balcão e uma colher;
3. Apresentou-nos uns queijitos embalados, do míni-mercado do prédio, ainda dentro do plástico;
4. Comemos os queijos, mais uma vez para não fazer a desfeita, no próprio prato da sopa e com a colher da sopa também;
5. E comemos depois a sopa com as migalhas do pão e os restos dos queijos. Ainda por cima, a sopa estava insonsa, que a Tia tem a tensão alta... e sal nem vê-lo...
6. As maçãs, uma a cada um e só, foram descascadas todas com a mesma faca (para não sujar louça que a máquina estar a deitar água por um tubo qualquer)
7. No fim, um café (café???! Cevada...) em canecas rachadas (uma de cada serviço) e uma colher para todos;
8. Como eu refilei, tive direito a uma chávena de café dos chineses. Já não foi mau...
Enfim, a gente pensa que as Tias têm brio em receber bem e tal, mas aquilo é mesmo só fachada. No teatro, era só: Olá professora. Como está? E eu a pensar: olha, está sem pratos, sem talheres e sem comida... Coitada! E sem máquina da louça...
Ah, a casa estava toda desarrumada e os tapetes cheios de vomitado do cão, mas isso já nem nos importou...
O Ruinzinho veio provar aquela máxima de que todas as Pestes têm sorte (enfim, o provérbio não é com a expressão “Pestes”, mas não posso dizer como é por causa da mãe dele...). Ligou às 21h10 a dizer que também queria ir ao espectáculo. O dito começava às 21h30; estava esgotado; era em Alcobaça e ele estava em Rio Maior. Pois conseguimos comprar-lhe o ÚNICO bilhete que tinha sido devolvido, o espectáculo começou às 21h45 e aquela Peste chegou às 21h43... Não faço comentários...
É como lhes disse no início: o fim-de-semana prometia, mas há sempre alguém que estraga tudo!
Para não corrermos mais riscos, no domingo nem nos atrevemos a ir ao passeio das Bocas em Rio Maior. Ficámos sossegadinhos, almoçámos só os dois (e bem, com comida mesmo a sério e pratos para tudo...), tomámos um cafezinho (em chávena de café mesmo...) com a Cris e voltámos para Lisboa.
Fogo!

domingo, abril 11, 2010

So, you think you can dance... aborda o cancro de mama

sexta-feira, abril 09, 2010

Príncipes do Nada - cap. IV (sem final à vista...)


A história do Vitor continua. Tenho imensos links para fotos e páginas da Web, onde se pode ver o trabalho feito por ele e pelas responsáveis do Lar Arco-íris. E escolhi este lar só porque é a casa da Daulisa. Infelizmente, não faltam lares e outros centros de acolhimento a precisarem de ajuda. Felizmente, também não faltam lares e outros centros de acolhimento a fazer um excelente trabalho e quase sem recursos.
Portanto, e antes de mais, obrigada!

Agora, é convosco! Toca a mexer o rabo e ir até à caixa Multibanco mais próxima (ou através do Home-Banking) fazer uma transferência para ajudar. Qualquer montante é uma ajuda preciosa.

"... Relativamente ao envio de donativos monetários para a/o seu afilhada/o é mais fácil, pois basta usar a minha conta aí em Portugal, (a transferência é gratuita), como fazem os restantes padrinhos, e depois eu transfiro trimestralmente para aqui, agrupando vários donativos de madrinhas e padrinhos, o que reduz ao mínimo as despesas de transferência internacional cobradas pelos dois bancos (português e moçambicano):

Titular: VITOR MANUEL SILVA BARATA
Banco: MILLENNIUM-BCP – Vila de Rei, Portugal
NIB: 0033 0000 4529 4364 9530 5

Obrigada. O Vitor envia depois fotos da entrega dos donativos aos lares e às crianças, para que não haja dúvidas sobre o destino dos fundos.

Estas crianças, tal como as nossas, precisam de comer todos os dias... E isso, para elas, não é fácil...
O título de "Principes do Nada" vem de uma reportagem feita pela Catarina Furtudo. Podem ver mais em:


“Príncipes do Nada” é um programa da autoria de Nuno Santos, com a coordenação e textos de Catarina Furtado. A produção e a realização são da “Até ao Fim do Mundo”.

Ao longo dos 12 programas de 30 minutos, Catarina Furtado vai seguir no terreno o trabalho de voluntários e membros de ONG´s portuguesas, dando a conhecer as dificuldades do seu quotidiano, muitas vezes em localidades remotas e com difícil contacto com o exterior; e mostrando os efeitos positivos que o seu trabalho tem sobre as populações.

Catarina Furtado guia-nos pelo mundo, à procura de “Príncipes do Nada” envolvidos em projectos de várias dimensões, em áreas tão diversificadas como a saúde, a educação, a reconstrução, a agricultura, o ensino e o saneamento básico.

Espelho de um Portugal cada vez mais solidário, “Príncipes do Nada” fará também a divulgação de campanhas de solidariedade.
(texto retirado do site da RTP)

quinta-feira, abril 08, 2010

Tenossinovite

Ahahahaha... Devem estar roidinhos de inveja! Eu, quando tenho alguma coisa, é uma coisa como deve ser!
Tenho, pois, uma Tenossinovite! Ou melhor, duas: uma em cada pulso...

E aposto que não sabem o que é!

A tenossinovite é uma inflamação do tendão acompanhada pela inflamação da bainha protectora que cobre o tendão (no meu caso, tenho falta de líquido sinovial).

Os tendões, alguns dos quais estão cobertos por uma bainha protectora, são cordas fibrosas de tecido resistente que ligam os músculos aos ossos. As bainhas dos tendões cobrem alguns tendões.

Certos tendões, especialmente os da mão, são particularmente propensos a inflamação. A inflamação do tendão que estende o polegar da mão para fora denomina-se doença de De Quervain. A inflamação pode fazer com que os tendões que fazem fechar os outros dedos da mão fiquem presos, produzindo-se uma sensação de estalido (dedo em gatilho).

Sintomas

Os tendões inflamados costumem causar dor quando se movem ou se tocam (mover as articulações próximas do tendão, ainda que seja ligeiramente, pode causar uma dor intensa). As bainhas dos tendões podem inchar visivelmente pela acumulação de líquido e pela inflamação, ou podem secar e roçar contra os tendões (é o caso), causando uma sensação áspera que se pode sentir, ou um som que se escuta durante a auscultação, quando a articulação se move.

Príncipes do Nada - cap. III


"... Relativamente à pergunta sobre o envio de donativos materiais, frequentemente os custos do envio tornam esta opção economicamente ineficiente. Por outro lado, o tempo de entrega é de um a dois meses. O facto é que tudo o que as madrinhas enviaram até hoje chegou tudo e em condições. Não deverá com isto concluir que é 100% seguro. É inquestionável, porém, a alegria da criança ao receber uma encomenda directamente enviada pelo padrinho, e gratificante para o padrinho ver a criança com os objectos que pessoalmente escolheu e lhe enviou. Já testemunhei isso e muitos padrinhos fazem mesmo questão em enviar via CTT.
Nesse caso, o endereço postal a usar é:

Ir. Laura Duce
Convento da Missão de S. José de Lhanguene,
Av. do Trabalho, Bairro de Chamanculo-C,
Maputo, Moçambique.

Se conseguir algum portador que viaje para Maputo, seria melhor pois reduzia alguns dos inconvenientes referidos.

Outros contactos úteis do Convento em Maputo:
Celular: +258.827230399 (Ir. Laura);
Telefone fixo: +258.21404770
Fax: +258.21400277
E-mail: sec.psfassis@gmail.com
Internet: http://psfassis.com.sapo.pt/

Observação: Além de escrever o endereço, é necessário que escreva igualmente (e bem visível), mas noutro local da caixa dessa encomenda, em letras grandes, que a encomenda “ao cuidado de Vítor Barata, Gurué – Invinha”. O Invinha Gurué, que fica no interior norte do país, 1800 km a norte de Maputo (o endereço indicado acima).

Assim, depois as Irmãs irão esperar até que haja uma Irmã (ou pessoa de confiança) que viaje de avião até Quelimane (tenha pouca bagagem no porão, para não pagar excesso de peso). Depois, espera-se que alguma Irmã viaje de carro nos restantes 350 km, até ao Invinha Gurué, que fica no interior do país.
Depois eu irei pessoalmente entregar ao Lar Arco-Íris, que fica a uns 15 km daqui.

Mas actualmente surgiu uma outra hipótese, que é aproveitar a boleia de um contentor ("1 contentor de sorrisos"), para colocar lá o seu donativo, numa caixa endereçada e identificada, que ficará gratuito e seguro. Para mais informações como entregar o seu donativos neste contentor com destino a Maputo-Moçambique, deverá contactar directamente as responsáveis por esta iniciativa através dos seguintes contactos: CONTENTOR DE SORRISOS:

Dado que está a decorrer uma campanha de angariação de donativos para Moçambique, e vão enviar um contentor, poderia aproveitar essa "boleia", pois é grátis e seguro. Trata-se de uma iniciativa da Escola Secundária de Bocage (Avenida Rodrigues Manito - Setúbal - A/c Prof. Fátima Campos) e Agrupamento de Escolas Pêro de Alenquer (Avenida Dr. Teófilo Carvalho dos Santos 2580-355 Paredes - Alenquer - A/c Prof. Maria Barata) .
Os contactos a usar estão no site http://1contentordesorrisos.blogspot.com/ mas eu posso repetí-los aqui:
Mail de contacto : camposfatima@gmail.com mariacbarata@hotmail.com
Deverá contactar directamente essas professoras, pois eu já falei sobre elas relativamente a esta possibilidade.

Sobre o tipo de bens mais necessitados: roupas (camisas e camisetes, camisolas, blusões, calças saias, calções), calçado (chinelos, sapatilhas sapatos), materiais de higiéne e saúde (pastas dentífricas, toalhas, sabão, detergente de loiça, suplementos vitamínicos, betadine, algodão, compressas, ligaduras, etc), material escolar, (cadernos, blocos de desenhos, réguas, lápis, lápis de cor, marcadores, esferográficas, pastas escolares, estojos, compassos, calculadoras, mini-dicionários, gramáticas, etc.) "

terça-feira, abril 06, 2010

Príncipes do Nada - cap. II









"... eu, tendo iniciado o apadrinhamento de crianças em 2008, numa localidade de Invinha, resolvi dar uma mão a esta louvável obra misericordiosa dessas Irmãs, que vêem todos os seus pedidos recusados, e assim iniciei também o apadrinhamento de crianças do Lar Arco-Íris no ano passado.

Mas o pouco que consigo é ajudar na roupa, na alimentação e material escolar das crianças, graças a donativos enviados pela madrinha de cada uma dessas crianças, à imagem do que a Associação Padrinhos de África faz...

... o problema da falta de transporte subsiste. É necessário para levar as crianças ao hospital, que fica a uns quilómetros do Lar Arco-Íris. É necessário o carro para ir às compras diárias para as crianças acolhidas no Lar Arco-Íris. É necessário o carro para ir à machamba (horta) do Lar Arco-Íris, quer recolher alimentos, quer para ir tratar das tarefas agrícolas. O Lar Arco-Íris tem uma machamba para seu auto-sustento e redução de algumas despesas.

Dada a dificuldade na obtenção dos fundos para a aquisição do carro, e dada a grande necessidade, (o Lar Arco-Íris já sobrevive assim há mais de dez anos!), as Irmãs continuam a tentar resolver o problema.

Elas têm tentado juntar algum dinheiro dos seus próprios salários como professoras externas, mas sobra pouco, dado que esse dinheiro é oferecido para a compra dos alimentos para as crianças. As Irmãs já estão a pensar em limitar-se à compra de um carro usado. Nesse caso o preço pode ser metade ou ainda menos, se pensarmos num carro com 6 anos, 10 anos, ou 15 anos.

O carro que as Irmãs necessitam é uma carrinha de caixa aberta, vulgarmente "pick-up", e com tracção integral, dada a quase inexistência de estradas alcatroadas, o relevo montanhoso e as chuvas intensas e regulares (esta é a zona com a maior pluviosidade de Moçambique). Para o transporte de crianças, convinha ser uma carrinha de caixa aberta sim, mas com cabine dupla, isto é, com quatro portas, mas mantendo a caixa aberta para o transporte de produtos agrícolas, ou para compra de outros bens necessários ao orfanato."

segunda-feira, abril 05, 2010

Príncipes do Nada - cap. I


Vou contar uma história.

Era uma vez eu. E eu fiz-me madrinha de África. De uma menina (que já conhecem - com um sorriso lindo), da Daulisa. Até aqui, já sabiam. Tive curiosidade de ver onde mora a Daulisa e pesquisei no GoogleMaps - Lar Arco-íris, Gurué, Zambézia, Moçambique. Ok, não fiquei a ver muito: árvores, muitas árvores, alguns telhados e nem um leão para amostra... Mas o Universo tem muitas maneiras de nos mostrar as coisas.

Através do GoogleMaps consegui chegar ao site do próprio Lar. Daí, consegui chegar até ao Vítor.

E aqui é que começa mesmo a história: Era uma vez o Vítor.

"Eu sou o Vitor Barata, um voluntário português que estou a trabalhar aqui em Moçambique com as Irmãs do Lar Arco-Íris desde 2006 e com as Irmãs da CONFHIC desde 2001.

O orfanato Lar Arco-Íris atravessa agora uma fase um pouco crítica, pois, devido à crise económica Mundial, a OXFAM-GB e a Sviluppo-Itália deixaram de apoiar o Lar Arco-Íris, restando apenas a Associação Padrinhos de África.

Sendo assim, as Irmãs responsáveis pelo Lar Arco-Íris, (Ir. Assucena Lucas Zita, Ir. Eugénia e Ir. Adelina), têm lutado por manter o Lar Arco-Íris em funcionamento, socorrendo-se do pouco que conseguem.

Note-se a importância deste orfanato, pois é praticamente a única instituição do género, num grande distrito, o distrito do Gurué, onde a situação de abandono e de orfandade de crianças é enorme e alarmante.

Estas Irmãs são também professoras no ensino primário, externamente ao orfanato. Além do trabalho no orfanato, que fazem gratuitamente, como é o carisma da sua congregação, estas Irmãs dão aulas em duas escolas do Ministério da Educação. Através desse outro trabalho externo são remuneradas com pequenos salários mensais.

Ora, dada a situação de não existirem quaisquer alternativas para financiar a compra de alimentos para as 30 a 40 crianças que acolhem (também gratuitamente, como não poderia deixar de ser, dada a pobreza extrema de onde são oriundas as crianças), dada essa falta de recursos financeiros, as Irmãs professoras, entregam o seu salário pessoal de professoras externas para a compra de alimentos para as crianças que acolhem.".

Num próximo post, vou contar o resto da história e pedir o vosso apoio para este trabalho. mas como é uma história, vai por capítulos...

domingo, abril 04, 2010

Produções de Páscoa...


... Sempre é melhor do que comer amêndoas... E não engorda...

quinta-feira, abril 01, 2010

Feliz Páscoa...!