É só mais um bocadinho!

segunda-feira, julho 13, 2009

A terapia da Tila comprovada cientificamente...!

Um estudo da Escola de Psicologia da Universidade Keele, na Inglaterra, publicado pela revista NeuroReport, revelou que dizer palavrões pode ajudar a diminuir a sensação de dor física.
Segundo a BBC Brasil, o estudo, dirigido pelo psicólogo Richard Stephens, foi feito com 64 voluntários que colocaram as mãos dentro de baldes de água cheios de gelo, enquanto diziam uma asneira à sua escolha. Na segunda parte do teste, os voluntários repetiram a experiência, mas em vez do palavrão tinham que escolher uma palavra usada normalmente para descrever uma mesa.
Segundo os resultados, os voluntários suportavam mais 40 segundos quando diziam palavrões e também sentiam menos dor.
No entanto, o ritmo cardíaco aumentava na primeira fase do teste. Os cientistas acreditam que esse facto se deve ao aumento da agressividade, o que por sua vez, diminuía a sensação de dor.
«O uso dos palavrões existe há séculos e é quase um fenómeno linguístico humano universal», afirmou Stephens. Dizer palavrões não provoca apenas uma resposta emocional, mas também uma resposta física, o que pode explicar porque é que «o uso dos palavrões» persiste.
«Os palavrões mexem com o centro emocional do cérebro e parece crescer no lado direito do cérebro, enquanto que a maior parte da produção linguística ocorre do lado esquerdo. A nossa pesquisa mostra uma potencial razão para o aparecimento dos palavrões, e porque é que eles persistem até hoje», referiu o psicólogo.
(in PortugalDiário online)

5 Comments:

*****

Olá!

Eu não dizia palavrões.

Mas a viver aqui onde a cada passo se ouve "F", "C..." e por aí fora... Conseguem traduzir?
Então não é que de vez em quando começo para aqui: "estou F..." Com este palavreado às tantas um dia estou com as "colunáveis" aqui do burgo e sai um mimo destes... Aí, então é que era o descrédito total... Estão a ver eu já tenho fama de meio ( o que me dá imenso prazer...) meio ou inteira... deve ser inteira de loucura.
Vai ser bonito, vai!

Filha, com a "m" desta vida temos de vez em quando de desopilar, que esta vida é uma gaita...
Um abraço,
laura

13/7/09 18:14  

Pois eu acho que o meu centro emocional do cérebro nunca cresceu...embora tivesse vivido também no Norte. Mas, a questão dos palavrões já está por todo o lado - lá para cima eles saiem com a maior das naturalidades e abundância mas nunca os disse.
Acho que mandar um berro tem o mesmo efeito...

14/7/09 08:54  

Ora aí está, mai nada, isto sim é que é um estudo à maneira!

Isalenca, não, desculparás mas um grito é muito diferente! Sei que nem num milhão de anos irei ouvir uma asneirola da tua boca e há 25 anos que tento...mas ainda não perdi a esperança, eheh.

Sobre o lado direito do meu humilde cérebro prefiro nem falar!

Eh pá Laurinha, não percebi patavina disso dos F e C...

14/7/09 12:17  

*****

Miminhas linda,
Quandi estiver contigo traduzo...
Beijinhos,
laura

14/7/09 19:05  

GRANDES DAAAAAAAAAAAAAAA!
Chiça, que se f....as mulheres,que nem são capazes de dizer umas ca.....das,faz bem pois, eu que o diga estou farta desta m.

Quanto à Tila, acho que lhe anda a fazer falta uns palavrões, mas a gritar bem alto.

BEIJINHOS A TODAS.

14/7/09 23:45  

Enviar um comentário

<< Home