É só mais um bocadinho!

sábado, maio 23, 2009

A seguir... a seguir há a vida.

Alguns não conhecem a Lurdes. Outros conhecem-na como LM - assim assina alguns comentários. A Lurdes tem um linfoma e anda às voltas com os tratamentos e os exames para fazer autotransplante. Também dá colaboração ao Projecto Luz. É psicóloga e tem uma idade estúpida que me irrita que tenham: aí uns 25, 26 ou 27 anos, por aí.... Irritante!
Ela enviou um mail a várias pessoas com este texto:

Olá!

Não sei se ontém viram uma entrevista na RTP1 com uma sobrevivente de cancro.

A Manuela explicou muito bem algumas coisas.

Houve uma que fez mais eco em mim:

"no dia a seguir ao diagnóstico... a vida continua... há exames para marcar, consultas, tratamentos, trabalho.. .há a vida"

Se quiserem, quando me perguntam como é que se "aguenta"... é tão simples quanto isto... a vida continua. Não é tanto a "coragem"... qualquer pessoa encontrará "a sua coragem"...não conheço nenhum doente sem coragem! A seguir... a seguir, há a vida! Com medo, raiva, esperança, ansiedade, momentos únicos (mesmo dentro do hospital, há momentos únicos), momentos de merda, o Pedro Ribeiro na rádio, filas no IC19, pessoas chatas na porta da farmácia do IPO, amigos, pessoas para encontrar e descobrir, a Mafalda no MP3. A seguir...a seguir, há a vida!

E hoje pensei... que mesmo quando perdemos um doente no serviço... a seguir...a seguir há vida! Na manhã do dia de carnaval perdi a D. Cecília com quem passei alguns dos dias dos internamentos... quando cheguei ao quarto (a Cecília estava na cama ao meu lado) e não a vi... (não sei pôr em palavras...) (....talvez porque o que senti foi silêncio)... uma das enfermeiras, a Sara, estava à minha espera... contou-me... como ninguém tinha dado conta... não falámos mais... a seguir, a seguir há a vida! Há o sossego dos doentes que não deram conta para proteger... há o banho para tomar... foi o que fiz... com o boby atrás de mim... há enfermeiros nos corredores (a Vanda, o João, a Sandra)... passamos e olhamo-nos... "bom dia!"... todos sabemos que estamos a perder aquela pessoa...todos eles sabiam que eu gostava muito de estar com a Cecília... e que a estava a perder e a guardar dentro de mim... no dia a seguir... a vida continua... quando chego de manhã ao corredor... a Paula, a Ana e a Perpétua (enfermeiras) fazem uma festa... a Perpétua e eu convencemos a Paula que eu tenho uma mota e que vou fazer uma tatuagem nas minhas 1001 marcas de cortes e furos de catéter... a Paula logo: "tens que levar a Madrinha a andar de mota!" (eu e a Paula tratamo-nos por Madrinha e Afilhada)... todas elas sabem que perdemos a Cecília... tanto disparate junto...como quem me diz... "sabemos que estás partida por dentro...mas estamos aqui!"... sabe bem...

A seguir... a seguir há a vida.

10 Comments:

pois...a vida continua :( *

23/5/09 22:02  

Dá para perceber como são importantes os depoimentos dos que falam destas coisas com conhecimento de causa, na pele, na primeira pessoa. Um beijinho muito garnde para a Lurdes e outro para ti e para todos os que apesar da sua "mazela" ainda se dão aos outros. É sublime!

23/5/09 23:13  

Olá, Nela!
Hoje pude assistir à entrevista e gostei muito do que vi e ouvi. Seriedade e profissionalismo por parte da jornalista; clareza, serenidade e uma grande dose de alento (em quase todas as acepções: respiração, coragem, ânimo, inspiração) de sua parte.
O que você escreve e a forma como o faz me fizeram criar uma imagem a seu respeito, mas ao ouvi-la essa imagem ganha um contorno muito mais doce e amável. É muito bom ouvir sua voz.
Também gostei imenso da edição de imagens que abre a entrevista, é muito emocionante. Ao fim de tudo, a idéia da prevenção foi muito bem defendida, porém o mais marcante para mim é o entendimento de que o câncer não significa exatamente o fim da vida, muito pelo contrário, pode e deve ser o início (ou recomeço) de uma vida muito melhor, mais consciente e consistente. (Penso dessa forma e procuro agir em consonância com esse pensamento).

Um pedido: gostaria de colocar esse vídeo no meu blog, como faço?

Um beijo carinhoso para você.
Um abraço para a Lurdes.

24/5/09 01:55  

*****

Exactamente como a Lurdes comenta.

Quando nos "ficava" uma vitima... às vezes no banho, na cama. Nós (eu e a enfª)não diziamos nada... olhávamos uma para a outra e continuávamos a "fazer" o que "agora era preciso fazer"... e é tão doloroso... Depois a família. Ficavamos a acompanhá-la um pouco... depois... depois como diz a Lurde meias tontas, meias destrambelhadas lá iamos às vezes tomar um café... sempre a tentar continuar a vida, sim, que no dia seguinte havia mais...

24/5/09 10:31  

É a realidade... e a vida continua!

24/5/09 23:35  

May Alek, desculpa não ter respondido logo. Não sei como enviar este video - é grande demais para ir de mail. Eu não sei como "roubar" videos de blogs, mas se souberes, força. É teu!

Beijinhos para todos e um especial para a Lurdes ainda às voltas com a bicharada.

25/5/09 14:36  

Beijinhos à Lurdes (que eu até conheço!) é mais uma Guerreira, muita força para ela!

Bjcs

25/5/09 14:51  

A seguir há a vida... Que testemunho tão bonito, Nelinha. Obrigada... Beijo grande e muita força para a Lurdes*

25/5/09 15:32  

A seguir há a vida, essa vida que tem de continuar,e cá vamos continuando.

Beijinhos.

25/5/09 16:26  

Obrigada pelos beijinhos e força.

Um beijinho para cada uma.

Lurdes.

26/5/09 17:29  

Enviar um comentário

<< Home