É só mais um bocadinho!

quinta-feira, abril 30, 2009

Segredos da viagem que nunca fiz...

"Pedem-me que vos fale sobre a Austrália, e eu até poderia falar-vos, porque nunca lá fui. Hoje as viagens são tão rápidas que a pessoa vai e volta sem perceber onde esteve, o que viu, e de que terra é. Nesse aspecto, viagem é mesmo sinónimo de vida: coleccionamos fotografias e frases para esquecermos que vamos morrer. Vem em todas as revistas: o maior sonho das pessoas é viajar. Mas as viagens, na realidade, não existem. O que existe é uma indústria da solidão chamada turismo e uma solidão sem indústria chamada aventura. Há uma época da vida em que, para parecermos inteligentes e desempoeirados, temos de pegar na trouxa e cair no mundo. A cartilha do Jovem Bom e Moderno reza mais ou menos assim: não te presumirás único no mundo, não te afeiçoarás a bens materiais, não julgarás o próximo, não temerás as distâncias, não soçobrarás às paixões que te cegam para a miséria universal, não comerás lagosta (por suada que seja), não gastarás o que te for dado em pechisbeques e adornos fúteis, não dormirás em hotéis de cinco estrelas, não recusarás experiências ou trabalhos, por mais modestos que se te afigurem. É como se, viajando, as pessoas se tornassem mais santas. Ó mocidade incauta. Das viagens trazemos uma série de ideias feitas do mundo, rápidos clichés que nos confortam como brinquedos. Viaja-se para cobrir com o heroísmo do desapego o magoado apego que se tem a um amor que nos maltratou. Ou viaja-se antes ainda, continuamente, para que ninguém ouse tatuar-nos o coração, roubar-nos, de um só fôlego, passado, presente e futuro. Pueril ilusão, a de sermos móveis. Damos a volta ao mundo inteiro para evitarmos a vertigem que trazemos em nós. Só a permanência esclarece, porque a coragem de olhar de frente o tempo confere-nos um halo de luz. O coração não viaja, e é escusado enganá-lo. Quem tem medo de se enganar diz que as ideias vêm da cabeça. Mas todas as ideias começaram por ser pressentimentos, batidas do coração" - Inês Pedrosa

Este excerto faz parte de um artigo muito interessante, escrito pela Inês Pedrosa (escritora de quem muito gosto), sobre a obsessão de viajar e que já há uns dias quis postar e não tive oportunidade. Fica como presente deste fim de semana em que muita gente, se calhar, vai viajar... Eu sou "mulher de ficar".

10 Comments:

Com isto tudo, fiquei sem vontade de sair de casa. Logo agora que pensava tirar um dia o fim-de-semana e rumar até Alcobaça. Sim porque quem passa por Alcobaça, não passa sem lá voltar.

A ver vamos....

30/4/09 17:15  

Eu também fico.
Talvez me lembre de ir ver o Mosteiro de Alcobaça... quem sabe?

Também gosto da Inês Pedrosa (até que enfim concordamos num autor!).
E também gosto imeeeeeeeeenso de viajar. Pena não poder fazê-lo mais. Ai NY!!!!!! Para quando NY????!!!!!!

Jokas

30/4/09 18:41  

Cistina que não sepor isso. A NY vai estar em Alcobaça. Já a poderás ver ao vivo e a cores.
Paciência....quando não vamos lá vem ela a nós.......
Jokas até sábado

30/4/09 18:58  

Tu não me enerves Cinda!!!!!

NY só mesmo nos States... agora em Alcobaça.
Em Alcobaça só uns docinhos no "Alcôa",frente ao Mosteiro eheheheh

30/4/09 19:03  

Eu também sou mais de ficar e também gosto muito da Inês Pedrosa. Mesmo assim terei de ir ao Algarve, visitar a minha mãe. Para longe chega-me saber que o meu filhote anda em lua-de-mel do lado de lá do mundo... Beijinhossssss

1/5/09 01:23  

Pois, já eu, sou todinha do verbo ir e nem precisa de ser longe.

jokas

1/5/09 21:36  

*****

Eu gosto de ir. Mas é um mistério, é ir e ficar ao mesmo tempo.
O Ideal era ir a NY, a Madrid a Paris a Londres mas... à noitinha voltar a penates...
Talvez (??) essa possibilidade não venha longe...
Quem sabe?
Aproveitem Alcobaça - Quem me dera lá estar... e hoje ESPECIALMENTE (e mais não digo).
laura

2/5/09 10:32  

Eu vou até ALCOBAÇA hoje n posso ir mais longe vou ver ás mulheres com M GRANDE
mas gosto muito de viajar nem k seja ali ao lado


tb gosto da Inês Pedrosa

BJFS

2/5/09 15:07  

Hum, uma aquariana que não é de viajar?!
Também gosto muito do que a Inês Pedrosa escreve, porém quanto a esse texto, discordo mais do que concordo. Ela viaja um bocado...
E gosto muito de viajar. Principalmente, quando a viagem é para estar perto de gente amiga.
Ai, meninas, estou com saudade de vocês! Me abandonaram... Sei que ando sumida, mas não se preocupem, estou bem.
Beijos

3/5/09 01:15  

Bem aparecida Sra. Dona May
Olhe que nos deixa preocupadas!

Jinhos

3/5/09 10:51  

Enviar um comentário

<< Home