É só mais um bocadinho!

quinta-feira, abril 02, 2009

Rosa, Esperança

Santarém, 02 Abr (Lusa)
Sete mulheres, nenhuma delas actriz, expõem-se, a partir de sábado, em palco, num espectáculo de emoções, resultado de muitas sessões de partilha sobre a experiência traumática de uma doença que foi comum a todas, o cancro da mama.
"Rosa Esperança" é o resultado de um trabalho a que Rui Germano, advogado, vereador na Câmara de Rio Maior e encenador, se decidiu dedicar nos últimos meses, depois de uma amiga ter vencido a luta contra o cancro da mama e de outra ter sucumbido à doença.
Estas experiências, disse hoje à agência Lusa, permitiram-lhe "fazer a ponte" para uma situação vivida há 26 anos, na sua infância, quando a própria mãe, Cacilda Germano, hoje com 68 anos e uma das "actrizes" da sua peça, viveu a luta contra a doença.
Através do blogue criado pela amiga vitimada pela doença, Cláudia, http://superglamorosas.blogspot.com/ , Rui entrou em contacto com o grupo de mulheres que, sendo de vários pontos do país, se começaram a encontrar aos domingos à tarde, em Rio Maior."Os nossos primeiros encontros foram essencialmente conversas, perceber quem eram, partilhar vivências", num processo, iniciado em Outubro, mês emblemático da luta contra o cancro da mama, que permitiu constituir "um núcleo duro" de sete mulheres que queriam avançar com a peça.
A esse "núcleo duro" - Cinda, de Ovar, Alda, das Caldas da Rainha, Manuela, de Alcobaça, Manuela e Carla, de Lisboa, e Cacilda e Cristina, de Rio Maior - acabaram por se juntar outras mulheres que foram tendo conhecimento da experiência e que, sem quererem participar na peça, foram aparecendo e dando o seu testemunho.
Rui Germano sublinha que Rosa Esperança "não é uma peça de teatro, é um projecto" em que estas mulheres, que "não são actrizes, nunca quiseram subir ao palco", se "revelam e partilham".Para já, o espectáculo tem sessões marcadas no cine-teatro de Rio Maior para os dias 04, 05, 11, 12, 18 e 19 de Abril (sábados às 21:30 e domingos às 17:00) - com a estreia já esgotada - e no Cine-teatro de Alcobaça para 02 de Maio.
Como uma das "actrizes" vai precisar de tempo para fazer a reconstituição mamária, Rui Germano espera que, a partir de Setembro, o grupo possa iniciar uma "mini-tournée" pelo país, tendo já contactos de várias cidades.
A intenção é "andar na estrada ano, ano e meio", fazendo coincidir o final das apresentações com o lançamento de um livro sobre o projecto que a jornalista Manuela Goucha Soares aceitou escrever, adiantou.
Sendo uma produção da "Quem Não Tem Cão - Oficina de Artistas", o projecto envolveu, além de inúmeras mulheres e homens, a escola Oficina da Imagem, que permitiu a edição de meia centena de fotografias das "actrizes", feitas em estúdio, e que vão ser expostas em Rio Maior a partir de dia 12.
Por outro lado, 11 fotos com 1 metro por 0,70 vão "andar pela cidade" neste período, para chamar a atenção para o projecto.
O espectáculo termina com um quadro final, resultado de um desafio lançado a sete costureiros/estilistas - Augustus, Cristina Lopes, Fátima Lopes, João Rolo, Luis Buchinho, Nuno Gama e Rafael Freitas."Queremos deixar uma imagem de 'glamour', que estas mulheres não perdem, ter um final cheio de charme", afirmou Rui Germano.

MLL.Lusa/fim