É só mais um bocadinho!

segunda-feira, março 30, 2009

Cancro: descoberta anima investigadores lusos

Investigadores portugueses identificaram um mecanismo viral associado ao desenvolvimento de tumores malignos resultantes da proliferação desordenada de linfócitos, chamados linfomas, num estudo publicado online pela revista EMBO, da Organização Europeia de Biologia Molecular (EMBO), refere a Lusa.
O mecanismo descrito neste trabalho de quatro anos - dirigido por Pedro Simas, do Instituto de Medicina Molecular (IMM) da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa - explica a persistência do vírus herpes no hospedeiro infectado, onde induz a proliferação de linfócitos B (Células do sistema imunitário) associada ao linfoma.
«Estamos muito entusiasmados com este estudo, porque tem um potencial de aplicação prática enorme», disse Pedro Simas.
Determinados linfomas estão associados à imunodepressão porque quando uma pessoa é imunodeprimida, por ter recebido um transplante de órgão ou de medula óssea, ou por estar infectada com HIV, este tipo de vírus ataca os linfócitos B, provocando a sua proliferação desordenada, explicou o investigador.
A equipa descobriu em experiências com modelos animais uma proteína da célula B do hospedeiro, chamada NF-kb, que tem de estar desactivada para que o vírus consiga induzir lifoproliferação e, portanto, o linfoma.
«Temos agora uma janela de intervenção para testar esta descoberta em humanos, irmos aos linfomas associados à infecção por Epstein-Barr em humanos e saber se a proteína está ou não inactivada», afirmou.
A próxima etapa desta equipa de investigadores consistirá em recolher material biológico em pacientes do Hospital Santa Maria, que tem uma ligação privilegiada com a Faculdade de Medicina, e analisar a situação dessa proteína nas células, adiantou Pedro Simas.
No seu entendimento, «tudo indica que, em princípio, estará inactivada».
Essa verificação é importante porque, segundo o investigador, «há imensos fármacos que podem activar ou desactivar esta proteína, o que dá uma possibilidade de intervenção terapêutica, de controlar as linfoproliferações induzidas por estes vírus e reconstruir o sistema imunológico».
Entre 1 a 10 por cento dos pacientes submetidos a transplantes de órgãos sólidos ou de medula óssea estão em risco de desenvolver este tipo de linfoproliferação associada ao linfoma.
O trabalho foi desenvolvido na Unidade de Patogénese Viral do IMM e contou com a colaboração de investigadores do Instituto Gulbenkian de Ciência e de um investigador da Cornell University, EUA.
Pedro Simas dirige desde 2004 a Unidade de Patogénese Viral do IMM e é professor associado da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa.
Doutorou-se e fez pós-doutoramento em Patogénese Viral na Universidade de Cambridge, no Reino Unido, tendo ingressado em 1999 no Instituto Gulbenkian de Ciência, a que continua ligado.
A sua equipa, de sete investigadores, tem como principal objectivo o estudo dos mecanismos moleculares de persistência dos vírus herpes para compreender melhor a sua patogenicidade e desenhar estratégias terapêuticas de combate às infecções virais.
PortugalDiário online

domingo, março 29, 2009

Mamas da blogosfera

Suplemento "Actual" do jornal "Expresso" deste Sábado. Um trabalho da jornalista Manuela Goucha Soares, mais conhecida por Manela Prima. Na Sexta também saiu em destaque no Gazeta das Caldas e está em destaque no Sapo Mulher: http://mulher.sapo.pt/actualidade/noticias/-rosa-esperanca-chama-atencao-986535.html e http://www.gazetacaldas.com/Desenvol.asp?NID=25420.

terça-feira, março 24, 2009

Não sei o que escrever, vou dedicar este post à minha Bibi...

ODE AO GATO

Por Artur da Távola

Bichos polêmicos sem o querer, porque sábios, mas inquietantes, talvez por isso.Nada é mais incômodo que o silencioso bastar-se dos gatos. O só pedir a quem amam. O só amar a quem os merece.O homem quer o bicho espojado, submisso, cheio de súplica, temor, reverência, obediência. O gato não satisfaz as necessidades doentias do amor. Só as saudáveis.Lembrei, então, de dizer, dos gatos, o que a observação de alguns anos me deu. Quem sabe, talvez, ocorra o milagre de iluminar um coração a eles fechado? Quem sabe, entendendo-os melhor, estabelece-se um grau de compreensão, uma possibilidade de luz e vida onde há ódio e temor? Quem sabe São Francisco de Assis não está por trás do Mago Merlin, soprando-me o artigo? Já viu gato amestrado, de chapeuzinho ridículo, obedecendo às ordens de um pilantra que vive às custas dele? Não! Até o bondoso elefante veste saiote e dança a valsa no circo. O leal cachorro no fundo compreende as agruras do dono e faz a gentileza de ganhar a vida por ele. O leão e o tigre se amesquinham na jaula. Gato não. Ele só aceita uma relação de independência e afeto. E como não cede ao homem, mesmo quando dele dependente, é chamado de arrogante, egoísta, safado, espertalhão ou falso.

"Falso", porque não aceita a nossa falsidade com ele e só admite afeto com troca e respeito pela individualidade. O gato não gosta de alguém porque precisa gostar para se sentir melhor. Ele gosta pelo amor que lhe é próprio, que é dele e ele o dá se quiser. O gato devolve ao homem a exata medida da relação que dele parte. Sábio, é espelho. O gato é zen. O gato é Tao. Ele conhece o segredo da não-ação que não é inação. Nada pede a quem não o quer. Exigente com quem ama, mas só depois de muito certificar-se. Não pede amor, mas se lhe dá, então ele exige.Sim, o gato não pede amor. Nem depende dele. Mas, quando o sente, é capaz de amar muito. Discretamente, porém sem derramar-se. O gato é um italiano educado na Inglaterra. Sente como um italiano mas se comporta como um lorde inglês.Quem não se relaciona bem com o próprio inconsciente não transa o gato. Ele aparece, então, como ameaça, porque representa essa relação precária do homem com o (próprio) mistério. O gato não se relaciona com a aparência do homem. Ele vê além, por dentro e pelo avesso. Relaciona-se com a essência. Se o gesto de carinho é medroso ou substitui inaceitáveis (mas existentes) impulsos secretos de agressão, o gato sabe. E se defende do afago. A relação dele é com o que está oculto, guardado e nem nós queremos, sabemos ou podemos ver. Por isso, quando surge nele um ato de entrega, de subida no colo ou manifestação de afeto, é algo muito verdadeiro, que não pode ser desdenhado. É um gesto de confiança que honra quem o recebe, pois significa um julgamento.

O homem não sabe ver o gato, mas o gato sabe ver o homem. Se há desarmonia real ou latente, o gato sente. Se há solidão, ele sabe e atenua como pode (ele que enfrenta a própria solidão de maneira muito mais valente que nós). Se há pessoas agressivas em torno ou carregadas de maus fluidos, ele se afasta. Nada diz, não reclama. Afasta-se. Quem não o sabe "ler" pensa que "ele não está ali". Presente ou ausente, ele ensina e manifesta algo. Perto ou longe, olhando ou fingindo não ver, ele está comunicando códigos que nem sempre (ou quase nunca) sabemos traduzir.
O gato vê mais e vê dentro e além de nós. Relaciona-se com fluidos, auras, fantasmas amigos e opressores. O gato é médium, bruxo, alquimista e parapsicólogo. É uma chance de meditação permanente a nosso lado, a ensinar paciência, atenção, silêncio e mistério. O gato é um monge portátil à disposição de quem o saiba perceber.Monge, sim, refinado, silencioso, meditativo e sábio monge, a nos devolver as perguntas medrosas esperando que encontremos o caminho na sua busca, em vez de o querer preparado, já conhecido e trilhado. O gato sempre responde com uma nova questão, remetendo-nos à pesquisa permanente do real, à busca incessante, à certeza de que cada segundo contém a possibilidade de criatividade e de novas inter-relações, infinitas, entre as coisas. O gato é uma lição diária de afeto verdadeiro e fiel. Suas manifestações são íntimas e profundas. Exigem recolhimento, entrega, atenção. Desatentos não agradam os gatos. Bulhosos os irritam. Tudo o que precise de promoção ou explicação, quer afirmação. Vive do verdadeiro e não se ilude com aparências. Ninguém em toda natureza aprendeu a bastar-se (até na higiene) a si mesmo como o gato!
Lição de sono e de musculação, o gato nos ensina todas as posições de respiração ioga. Ensina a dormir com entrega total e diluição recuperante no Cosmos. Ensina a espreguiçar-se com a massagem mais completa em todos em todos os músculos, preparando-os para a ação imediata. Se os preparadores físicos aprendessem o aquecimento do gato, os jogadores reservas não levariam tanto tempo (quase 15 minutos) se aquecendo para entrar em campo. O gato sai do sono para o máximo de ação, tensão e elasticidade num segundo. Conhece o desempenho preciso e milimétrico de cada parte do seu corpo, a qual ama e preserva como a um templo.Lição de saúde sexual e sensualidade. Lição de envolvimento amoroso com dedicação integral de vários dias. Lição de organização familiar e de definição de espaço próprio e território pessoal. Lição de anatomia, equilíbrio, desempenho muscular. Lição de salto. Lição de silêncio. Lição de descanso. Lição de introversão. Lição de contato com o mistério, com o escuro, com a sombra. Lição de religiosidade sem ícones.Lição de alimentação e requinte. Lição de bom gosto e senso de oportunidade. Lição de vida, enfim, a mais completa, diária, silenciosa, educada, sem cobranças, sem veemências, sem exigências.O gato é uma chance de interiorização e sabedoria posta pelo mistério à disposição do homem.

sábado, março 21, 2009

Começou a Primavera... ou... Nós e o Mar...

...Ou outra coisa qualquer...

Hoje, fomos fazer filmagens para a praia e fomos convidados para uma festa na Benedita. E podia ficar por aqui porque já contei, em resumo, o nosso dia. Mas hoje, apetece-me dizer muitas coisas, por isso o post vai ser longo.

Apetece-me falar desta festa onde estivemos a divulgar a nossa peça. Um dos nossos patrocinadores alargou o seu negócio e ofereceu um almoço a quem... aparecesse. Convidou-nos e alterámos o nosso plano para aceitarmos o seu convite que, obviamente, agradecemos. Tivemos oportunidade de divulgar o projecto à população daquela zona, estivemos com o vice-Presidente da Câmara de Rio Maior e alguns vereadores, o Presidente da Câmara de Alcobaça e enfim, muita gente que marca a vida destas localidades. Foi uma excelente oportunidade de darmos a cara junto das pessoas da zona onde vamos actuar.

No meio desta tarefa, da broa, dos 4 ou 5 porcos a assar, do caldo verde e da fruta, veio ter connosco uma senhora a quem entregaramos um postal da nossa peça, e nos veio dizer que também ela tivera cancro de mama há 5 anos, também ela era uma Guerreira (palavras suas). Estamos a falar de uma senhora do campo, provavelmente sem instrução, com aparência simples. Tem 68 anos. Contou-nos que chorou no dia em que lhe caiu o cabelo. Só nesse dia.

E ela, humildemente, mostrou-nos porque andamos a fazer isto. Ela validou o nosso projecto.

Depois, fomos para a praia. Tivemos nas últimas 3 ou 4 semanas um tempo de quase-verão. Pois! Já acabou! Rapámos um frio que só visto... Molhámos os pézinhos em água gelada e lá tentámos dar o ar feliz e sereno de um fim de tarde no Verão... Pena o ar de chuva...! Tivemos que ir tomar uma bebidinha quente no fim para aquecer e ver e rever as fotos de uma tarde de malucos.

Quando vinha para o carro já com os lábios roxos, os pés cheios de areia e as calças ainda molhadas do "vamos agora caminhar à beira da água com ar descontraído e feliz, suas múmias paralíticas", pensei em tudo o que já fizemos juntos... 7 mulheres que não se conheciam, 2 dos maridos, fotógrafos, assistentes de produção e de encenação, figurantes, ok, ok, uma médica/enfermeira... Tudo gente que, de forma generosa, tem dado de si e do seu tempo em prol de um projecto. Pessoas que agora passam os fins de semana juntas a trabalhar e, principalmente, a darem o seu melhor e a tentar ultrapassá-lo. Pessoas amigas do peito. Já fizemos tanto!

Não, não me esqueci. Last, but not least, hoje, muito excepcionalmente, vou falar do Comandante. Já não estranhamos quando aparece uma maluquice nova que estas tarantas (as tais múmias paralíticas) têm que realizar. E não estranhamos porquê?! Porque já nos habituámos a olhar para ele como o sonhador que, passo a passo, vai concretizando os sonhos e vai dando-lhes forma. E que pára, com o olhar perdido, fica calado e inventa mais uma. E que tem que aguentar com as nossas dúvidas, com as nossas diferenças, com as nossas incertezas, com as nossas zangas e passa a vida a dizer: Isto vai ficar para a vossa vida. Esta experiência já valeu todo o sacrifício que fazem... blá blá blá... E sabe que mais? Tem razão!

E depois disto tudo, não restam dúvidas: Eu gosto de vocês e agora, que se aproxima a estreia (estou ansiosa que chegue o dia), admito que me rendi e sei que isto é um momento único na minha vida. Este exercício permanente de fazer nascer alguma coisa do nada, de ousar sonhar com algo mais alto, de fazer aquilo para que não se tem aptidão nenhuma, de poder conhecer pessoas magníficas e generosas, de poder estarmos perto umas das outras e desenvolver esta amizade no limite dos nossos nervos, tudo isto já valeu mesmo a pena. E ainda é só o início, porque parece que o melhor... ainda está para vir...!

sexta-feira, março 20, 2009

Almocito

Ontem foi dia de almocito. Salmão grelhado com grelos, acompanhado com água e café. Os almoços com a Gosma são sempre muito desconsolados...

A coisa mais animada que aconteceu foi a chegada de um Audi descapotável... Já estão a ver a animação do almoço...

Não gosto nada desta gaja!


quarta-feira, março 18, 2009

Ora aí está! E não se pode perder...


Problemas comuns dos seios: Tire essa preocupação do peito

Como todo o aparelho genital, os seios estão na dependência dos ovários que segregam as hormonas femininas. É precisamente por isso que as dores e os caroços no seio se devem na maior parte dos casos a um desequilíbrio entre as principais hormonas sexuais, o estradiol, a progesterona e a prolactina.
O estradiol faz crescer a glândula mamária e participa no desenvolvimento dos canais que produzem o leite. Quando está desequilibrado, pode ficar-se com os seios inchados em fim de ciclo. A progesterona actua em colaboração com a anterior, opondo-se ou atenuando a sua acção sobre a multiplicação das células. Protege, assim, de algumas doenças dos seios.
A prolactina, hormona da lactação, é segregada em permanência, mas a sua produção aumenta durante a gravidez e o aleitamento. Se o seu nível é muito grande, pode ser responsável por um inchaço.
Desta maneira, quando alguma destas hormonas entra em desequilíbrio, sobretudo o estradiol e a progesterona, os seios acusam a situação. Ao princípio provocam dores, depois podem apresentar certas patologias. Nada de inquietante: antes dos cinquenta anos são raramente sinónimos de cancro e qualquer ginecologista será capaz de reequilibrar o clima hormonal.
Quando ir ao médico?
A consulta médica deverá ser procurada sempre que a dor dure mais de 5 dias por mês, seja recente ou apareça quando se toma a pílula ou se está a fazer um tratamento hormonal de substituição. Quando se sente um caroço deverá igualmente recorrer-se a um especialista, assim como em caso de corrimento, sobretudo se for sanguíneo.
Existem ainda outras situações em que a prudência obriga a uma avaliação da situação por parte de um clínico. É o caso do aparecimento de uma região endurecida, principalmente na parte superior do seio. Em caso de abcesso, principalmente se for quente, encarniçado e provoque dores. Nesta última situação, a consulta deve ser de urgência porque os tratamentos são activos se o abcesso for atacado a tempo. Nos outros casos, pode-se esperar entre 15 dias a um mês para actuar.
DORES INDICAM DESEQUILÍBRIO HORMONAL
As dores constituem o motivo mais frequente da consulta ao médico, principalmente entre os 15 e os 20 anos, a partir dos 40 e quando se toma a pílula. Na maior parte das vezes, a dor é tolerável, mas certas mulheres sofrem tanto que não conseguem dormir sobre o ventre, nem suportar o soutien ou uma carícia. Esta situação ocorre principalmente ao fim do dia quando as dores são mais intensas, e na aproximação das regras cuja chegada é olhada como um alívio. Por vezes os seios aumentam muito de volume. As dores são, sem dúvida, sinal de um desequilíbrio hormonal.O diagnósticoO diagnóstico passa por um interrogatório sobre o momento da aparição das dores, o facto de se referirem a um ou aos dois seios, a maneira como são aliviadas ou não pelas regras. Ao mesmo tempo, o ginecologista fará um exame minucioso em busca de um caroço, do aumento da rede venosa, da emissão de um calor particular ou da presença de uma mastose (região endurecida).
Convém, no entanto, esclarecer que a dor nunca é sinal de cancro. Uma mamografia só se mostrará necessária para mulheres com mais de 40 anos.
O tratamento
Depende da importância das dores e da idade. Dor moderada numa mulher com menos de 35 anos pode, em geral, ser acalmada com uma aplicação de progesterona sobre os seios. Esta molécula contrabalança a acção dos estrogénios responsáveis pelo edema. Deve ser aplicado durante todos os dias do ciclo, até mesmo durante as regras.
Se isto não se mostrar suficiente, pode-se associar um progestativo de síntese, a tomar durante 10 dias por mês para compensar a falta de progesterona. Se as dores se mantiverem, resta tomar um comprimido com uma forte dose de progestativo para bloquear a produção do estradiol responsável por estas dores.As dores desaparecem dentro de alguns dias, com uma única excepção: as que são provocadas por uma doença das costas ou um excesso de peso, que o ginecologista não terá noticiado porque não são aliviadas com as regras. Nestes caso, as dores só desaparecerão com tratamentos às costas e a perda de peso.
UM LÍQUIDO QUE ESCORRE
Pode verificar-se um corrimento por um poro do mamilo ou por vários poros dos dois mamilos.Os escorrimentos por vários poros são mais frequentes, sobretudo entre as mulheres que já tiveram filhos, tenham sido ou não elas a aleitá-los. Mas estes corrimentos podem também ser sinal de um desregulamento da hipófise que segrega prolactina em excesso. Também certos medicamentos, como os antidepressivos, os soníferos, e outros usados contra as náuseas, provocam, por vezes, esses corrimentos.Na outra situação, os corrimentos através de um único poro ocorrem por vezes nas adolescentes, mas mais frequentemente nas mulheres de trinta anos. Por vezes, é um caso sério: o corrimento pode ser sinal de um tumor maligno localizado no interior de um canal galactóforo.
Diagnóstico
A elaboração do diagnóstico para as situações de corrimento através de vários poros dos dois mamilos passa por um interrogatório para investigar, por exemplo, a tomada de qualquer medicamento. Depois, se o corrimento se assemelha a leite, o ginecologista prescreverá um doseamento de prolactina associado a scanner com o objectivo de explorar a hipófise. Não há que se inquietar com esta multiplicação de meios: é a única maneira de explorar esta pequena glândula.
No caso de o corrimento se verificar através de um único poro de um só mamilo, o diagnóstico exige uma recolha do líquido e a sua análise em laboratório de anatomopatologia. Paralelamente, é necessário fazer dois outros exames: uma mamografia e uma galactografia. A galactografia é uma radiografia do canal galactóforo para procurar um eventual tumor.É importante lembrar que, em 5 por cento dos casos, se detecta um tumor maligno. Mas, na maioria das situações, o corrimento é provocado pela dilatação do canal.
O tratamento
O tratamento dos corrimentos através de vários poros depende, naturalmente, da causa. Se o responsável for um medicamento, há que substituí-lo por outro de uma classe terapêutica diferente. Se se trata de um excesso de prolactina, certos médicos aconselham a bromocriptina para bloquear a secreção de prolactina. Se os corrimentos ocorrem num só seio, pode pensar-se numa intervenção cirúrgica para corrigir uma eventual dilatação dos canais galactóforos.
Quando o corrimento ocorre através de um só poro, o tratamento pode variar, mas faz-se sobretudo com recurso a processos cirúrgicos. Se um tumor for encontrado, é preciso retirá-lo, mesmo que seja benigno. E se o canal galactóforo estiver dilatado, é necessário praticar a ablação de todo o tecido circundante. É, de resto, um gesto sem consequências.
SINTO UMA BOLA
Há-as de duas espécies: os fibro-adenomas que se manifestam antes dos 25 anos e os quistos que aparecem, na maior parte dos casos, após os trinta anos.
Os fibro-adenomas são massas formadas por uma mistura dos tecidos que comportam os seios. Quando apalpados, deslizam sob a mão e, por vezes, aumentam de volume antes das regras, diminuindo logo em seguida. Na maior parte dos casos, existem vários ao mesmo tempo. As suas dimensões variam.Mesmo quando pequenos, são fáceis de descobrir apalpando os seios e é melhor uma consulta médica, pois, por vezes, são um pouco sensíveis. De qualquer maneira, nunca evoluem para o cancro.DiagnósticoDepende da idade. Antes dos 30 anos, associa um interrogatório, exame clínico e, eventualmente, uma ecografia. Em casos mais inquietantes pode ser necessária uma punção do conteúdo.Após os 30 anos, o médico aconselhará, além destes exames, uma mamografia.
Tratamento
Varia segundo as equipas médicas.Seja como for, pode começar-se pelos medicamentos: progestivos de síntese fortemente doseados a tomar 17 a 20 dias por mês. Actuam interrompendo a acção do estradiol sobre a glândula mamária e são igualmente contraceptivos. Na maioria dos casos, a bola diminui de tamanho, mais ou menos de acordo com os tecidos de que é composta. Se se actua cedo, a diminuição pode ser considerável. E se não se pretende tomar medicamentos, resta a solução da cirurgia, praticada na maior parte dos casos com anestesia geral. De acordo com a localização, consiste em retirar a bola, passando pela borda da auréola ou pela face externa do seio. Existe, no entanto um inconveniente: como a causa não foi tratada, o fibro-adenoma pode reaparecer, o que exige o regresso ao tratamento hormonal.
TEREI UM QUISTO?
Os quistos formam uma bola um pouco tensa que se pode apertar com o toque uma vez que se tratam de cavidades cheias de líquido. São a consequência de uma dilatação de um segmento do canal galactoforo comprimido pelos tecidos vizinhos ou por uma fibrose provocada por um desequilíbrio hormonal que surge todos os meses. É uma situação muito dolorosa.
Um quisto pode ser único. Mas, na maior parte dos casos, surge um grande associado a outros mais pequenos. Pode também ser isolado ou associado a uma mastose (endurecimento) dolorosa antes das regras. Os quistos são muito frequentes na pré-menopausa, um período de desequilíbrio hormonal. Convém não esquecer que a presença de um quisto pode aumentar o risco de cancro do seio.
Diagnóstico
É feito pela palpação. O ginecologista prescreve também uma mamografia, até mesmo uma ecografia destinada a contar o número de quistos e a identificá-los capazmente. Ao mesmo tempo, na maior parte dos casos, o médico faz uma punção nos quistos de maiores proporções para aliviar a paciente e poder enviar o líquido para o laboratório de anatomopatologia. É importante saber que se o líquido se apresenta acastanhado, não é um sinal de gravidade.
Tratamento
A punção do quisto não é suficiente. É necessário tratar a doença de fundo com o auxílio de progestativos que têm uma função de contraceptivo e que devem ser tomados 18 a 20 dias por mês para fazer descansar o aparelho genital. Este tratamento é geralmente suficiente para fazer desaparecer os sintomas. Se entretanto se quiser ter um filho, pode-se interromper o tratamento, mas não por muito tempo. Existem várias famílias de progestativos. Os chamados noresteróides dão bons resultados em 85 por cento dos casos, mas por vezes com custos de efeitos indesejáveis: aumento de peso, acne. São contra-indicados em caso de diabetes e de hipertensão. Resta então a solução de produtos menos doseados cuja acção é mais lenta.Por último, se um quisto é refractário ao tratamento médico e volta a surgir na mesma zona é necessário extraí-lo porque pode favorecer a aparição de um cancro.
E SE FOR UM ABCESSO
Tudo começa por umas manchas encarnadas, tensões e dores significativas, sinais de inflamação ou de linfangite. Na maior parte dos casos, o abcesso situa-se em volta da auréola, junto do mamilo. São frequentes após o parto, quando se está a aleitar, pois os canais galactóforos estão abertos e certos germes da pele podem ali penetrar. As fumadoras contraem abcessos mais facilmente sem que saiba porquê.
Diagnóstico
Na maior parte dos casos é evidente, mas passados os 40 anos pode significar um tumor maligno. Em caso de dúvida, uma ecografia e uma mamografia tornam-se necessárias.
Tratamento
Depende do estágio em que o doente se dirige ao médico. Um abcesso atacado a tempo trata-se, na maior parte dos casos, com antibióticos e anti-inflamatórios tomados durante uns quinze dias.Isto evita a constituição do abcesso e leva, quase sempre, à cura definitiva. Ao fim de quatro dias já não se sentem dores. Se os medicamentos são ineficazes ou se o abcesso já está formado, torna-se necessário fazer uma incisão para lhe extrair o conteúdo. Também neste caso a cura é quase sempre definitiva. Contudo, doenças inflamatórias e abcessos cuja causa se ignora podem voltar a surgir após terem sido retirados cirurgicamente. Alguns são operados 4 a 5 vezes e, em caso de recidiva, a ablação do seio pode tornar-se necessária.
Para evitar esta situação está em avaliação um tratamento que associa a cortisona e certos antibióticas em doses altas. Mas este tipo de tratamento encontra-se ainda numa fase de desenvolvimento.
EXAMES CLÁSSICOS
Existem quatro métodos diferentes para examinar os seios. Alguns podem ser usados complementarmente, cabendo ao médico especialista a decisão sobre a necessidade da sua realização.
- A MAMOGRAFIA permite ver a estrutura dos seios. É sobretudo fiável a partir dos 50 anos, porque anteriormente os seios são tão densos que se tornam difíceis de decifrar. Esclarece sobre as causas da dor e permite verificar se uma calcificação ou um caroço são benignos ou malignos.
- A ECOGRAFIA permite verificar se um caroço é sólido ou líquido. Mostrando os quistos com precisão, é insubstituível nas mulheres jovens, até mesmo no caso de um caroço escondido por uma placa de mastose.
- A PUNÇÃO permite precisar o conteúdo de um caroço. Pode ser feita no gabinete médico ou durante a ecografia. No gabinete médico, se o conteúdo é líquido será aspirado e enviado depois para um anatomopatologista. Se é sólido, extraem-se algumas células para análise. Em qualquer dos casos, a intervenção não é mais dolorosa do que uma injecção intramuscular. A punção eco-orientada determina com precisão a natureza do caroço assinalado pela ecografia.
- A GALACTOGRAFIA é prescrita quando o líquido corre através de um único poro. Injecta-se um produto de contraste para opacificar o canal galactóforo e verificar a eventual presença de um tumor benigno ou maligno. O exame pode ser um pouco desagradável, mas a dor é fugaz.
PÍLULA E DORES: CUIDADO!
Quando se toma a pílula não é normal ter dores nos seios durante mais de três ou quatro dias antes das regras.Quando se verifica uma situação diferente torna-se necessário recorrer a um especialista. Se a pílula escolhida não é a mais conveniente, pode, com o passar do tempo, produzir-se um desequilíbrio hormonal que pode favorecer um doença dos seios benigna, ou até mesmo maligna. Para evitar este risco, é necessário mudar de pílula ou associar um tratamento à base de progesterona destinado a contrabalançar o efeito dos estrogénios, o que conduzirá à desaparição da dor.

A responsabilidade editorial e científica desta informação é da Farmácia Saúde

terça-feira, março 17, 2009

VALHA-ME DEUS!


O Papa Bento XVI defendeu esta terça-feira que a solução para o problema da sida não passa pela distribuição de preservativos, horas antes de aterrar na capital dos Camarões para a sua primeira visita ao continente africano, escreve a Lusa.
«Não se pode resolver (o problema da sida) com a distribuição de preservativos», disse o Papa aos jornalistas a bordo do avião da Alitália que o levará até Yaounde, nos Camarões. Acrescentou que, «pelo contrário, a sua utilização agrava o problema».
Esta é a primeira vez que Bento XVI fala explicitamente no uso de preservativos. A Igreja Católica, que se afirma na linha da frente do combate à sida, encoraja a abstinência para impedir a propagação da doença.
A oposição da Igreja ao uso de preservativos é questionada por padres e freiras que trabalham com vítimas da sida em África. O Papa estimou ainda que a solução passa por um «despertar espiritual e humano» e pela «amizade pelos que sofrem».
Bento XVI adiantou ainda que pretende apelar à «solidariedade internacional» com África no contexto da actual crise económica, ressalvando que a Igreja não propõe soluções económicas específicas, mas pode dar sugestões «espirituais e morais».
Atribuindo a actual situação económica a um «défice de ética nas estruturas económicas», o Papa disse que é «aqui que a Igreja pode dar o seu contributo».
O Papa Vento XVI deixou Roma esta manhã rumo aos Camarões, primeira etapa de um périplo de sete dias pelo continente africano, que o levará também a Angola. Bento XVI deverá aterrar no aeroporto de Yaounde cerca das 16:00 locais (15:00 GMT).
A sida tem um impacto devastador em África, particularmente em países da África Austral como o Botswana, Suazilândia e África do Sul, os mais afectados em todo o mundo.


PortugalDiário online

segunda-feira, março 16, 2009

Cris Vic


Esta menina, de que vos vou falar, não é presença assídua deste blog. Mas faz parte do lote das "7 magníficas" do teatro.
Também teve cancro de mama (mais ou menos na mesma altura em que eu tive), também é aquariana, bom, e também é maluca!

Ontem no teatro, depois daquilo a que chamamos almoço, apareceu com uma garrafa de champanhe (ok, espumante...) para festejar. E festejar o quê? Nada mais, nada menos do que a vitória da Gigi (que ela não conhece) e o desaparecimento do quisto que eu tinha!

Obrigada, Cris Vic, pela tua generosidade. Claro que o teu objectivo era "amandares-te" aos copos, mas não deixou, por isso, de ser um gesto muito simpático e generoso.

Copofónica!!!!

sexta-feira, março 13, 2009

Bom fim de semana

Mais um fim de semana bem agitado e que vai passar a correr.
Ficam aqui com um video para relaxar. Só voltarei segunda-feira.
Beijinhos


quinta-feira, março 12, 2009

Por falar em porco...

Hoje é mesmo um dia abençoado. Para acabar em beleza, o quisto que eu tinha no ovário direito desapareceu! YESSSSSSSSSSS!!!!!!!!!!!!!

Não tenho palavras...


E não é que a parva da miúda tinha razão?! E não é que venceu mesmo?!
Estou aqui que nem posso... Não sei se chore, não sei se ria. Mas faça lá o que fizer, o que eu sinto mesmo é uma felicidade que não sou capaz de explicar!
A GIGI GANHOU!
TOMA! INCHA, PORCO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

quarta-feira, março 11, 2009

Notícias diversas

Reserva de Bilhetes para a nossa peça:


Contacto - 243 999300 - Ext 19600 - Cineteatro
Tlm - 961789266 -
recepção mail - bilheteira@cineteatrorm.pt
As reservas têm de ser levantadas 1 hora antes do espectáculo, ficando sem efeito posteriormente.
Horário - 14h00 às 18h00, dias de cinema/espectáculo a partir das 20h00.
Update: a estreia já está esgotadíssima!

Notícias da Gigi:

Já fez a PET, mas não sabe resultados. Amanhã saberá durante a consulta. Mas sabemos que está tudo bem.


Hoje, a Soraia faz anos!!!!

terça-feira, março 10, 2009

Gigi

segunda-feira, março 09, 2009

A Buba... partiu há um ano


E que a minha loucura seja perdoada
Porque metade de mim é amor
E a outra metade também.

sábado, março 07, 2009

Sessão fotográfica

Hoje, foi dia de ir até à escola de fotografia brincar aos modelos e aos fotógrafos... Foi uma experiência muito gira, cansativa, mas compensadora. A primeira foi a Carlinha: linda, linda, lindíssima, a refilar com alguns pormenores de que não gosta, mas que não interessam nada!
Depois, fui eu para a "arena". Ao princípio inibe um pouco, mas logo que se toma o gosto, até parece que nascemos para aquilo... hihihi

Não vou dizer mais para não estragar a surpresa que se quer proporcionar a quem nos for ver aos diversos teatros onde vamos "actuar".
O Paulo fez a reportagem fotográfica da sessão fotográfica e ficou bem documentada, acreditem!
Aqui fica uma amostrita, tirada sem luz e só para brincar.





quinta-feira, março 05, 2009

Vida dura...!

video

quarta-feira, março 04, 2009

Rosa, Esperança

terça-feira, março 03, 2009

Dia de exames anuais...


Hoje foi dia de rumar ao IPO e fazer os tão temidos exames anuais. "Tudo bem. Nada de preocupante!", foram as palavras do JCM. Já as diz há 3 anos e espero que as diga por muitos mais.
E também me podem dar os parabéns porque, desta vez, até me portei... digamos... razoavelmente. Digamos que estava um pouquinho menos histérica do que nos anos anteriores...
Consegui sair da sala dos exames sem estar coberta de manchas na pele, como é habitual...

Pormenores! O que interessa é a parte final e aquelas palavras valem ouro!!!