É só mais um bocadinho!

sábado, junho 30, 2007

Tempo de praia...!

A Isabel, no seu blog - Uma Luz na Escuridão (vão ver) - fala de uma coisa importantíssima: a Praia!

E fala daqueles pormenores que podem tornar uma ida até ao mar numa situação embaraçosa.


E fala de algumas soluções que nós, mulheres vaidosas, gostamos de ter para estarmos SuperGlamorosas.


Vejam em http://umaluznaescuridao.blogs.sapo.pt/

terça-feira, junho 26, 2007

Exercício físico previne tumores mamários

http://www.sbsi.pt/sams/

Realizada por investigadores da Universidade da Carolina do Sul (Los Angeles, EUA), a investigação, intitulada “Estudo de Professoras da Califórnia” foi recentemente publicada na revista especializada “Archives of Internal Medicina” e divulgada ao grande público no suplemento de “Saúde” do diário espanhol “El Mundo”.

No trabalho científico, iniciado em 1995, foram analisadas 100.599 professoras sem história prévia de cancro da mama e com idades compreendidas entre os 22 e os 79 anos.

Os autores do estudo recompilaram informação sobre a prática de actividade física e os hábitos quotidianos relacionados com o exercício.

Deste modo, o estudo centrou-se no impacto do exercício energético, assim como nas actividades físicas moderadas praticadas semanalmente.

Após um acompanhamento de sete anos, em 2.694 participantes foi diagnosticado cancro da mama invasivo e em 593 um tumor localizado.

Segundo os autores, os resultados da investigação mostram que a incidência de ambos os tipos de lesões foram menores entre as mulheres que praticavam desportos energéticos como correr, nadar ou fazer ginástica aeróbica.

Nas suas conclusões, os investigadores assinalam concretamente que as mulheres que realizavam estas actividades durante mais de cinco horas semanais tinham 20% menos risco de sofrer desta enfermidade do que as mulheres que só treinavam meia hora por dia.

Um dos dados mais interessantes da investigação é que a actividade física parece ter um papel protector unicamente nas mulheres com tumores que tenham receptores de estrogénios negativos, um dado que não tinha sido estabelecido em estudos anteriores.

Além disso, os investigadores sublinham que este facto é importante, dado que a químio-prevenção actual (tamoxifeno e raloxifeno) não tem efeito sobre os tumores cujos receptores de estrogénios sejam negativos.

2007-06-15

quarta-feira, junho 20, 2007

Genes responsáveis pelo cancro da mama podem estar escondidos na árvore familiar do Pai

Não vou traduzir agora este artigo, mas a sua importância leva-me a publicá-lo mesmo em Inglês. Suspeito, aliás, que este é o meu caso.
Breast cancer genes may hide in dad's family tree
Researchers: Insurers should cover tests to track faulty genes, help with medical decisions.
Carla K. Johnson / Associated Press
CHICAGO -- A deadly gene's path can hide in a family tree when a woman has few aunts and older sisters, making it appear that her breast cancer struck out of nowhere when it really came from dad.
A new study suggests thousands of young women with breast cancer -- an estimated 8,000 a year in the U.S. -- aren't offered testing to identify faulty genes and clarify their medical decisions.
Guidelines used by insurance companies to decide coverage for genetic testing should change to reflect the findings, said study co-author Dr. Jeffrey Weitzel of City of Hope Cancer Center in Duarte, Calif. Testing can cost more than $3,000.
"Interestingly, it's about Dad," Weitzel said. Half of genetic breast cancers are inherited from a woman's father, not her mother. But unless Dad has female relatives with breast cancer, the faulty gene may have been passed down silently, without causing cancer. (Men can get genetic breast cancer, too, but it's not common.)
The study, in today's Journal of the American Medical Association, looked at the genetic test results from 306 women diagnosed with breast cancer before age 50.
None of the cancer patients in the study had a family history of breast or ovarian cancer.
Among the women with plenty of female relatives, about 5 percent had BRCA gene mutations. But among those with few sisters and aunts older than 45 (when breast cancer would be likely to appear), almost 14 percent had mutations of the genes BRCA1 or BRCA2. That suggests that these cancer patients were unaware of their genetic mutations because there were so few women in the family to signal a cancer risk.
The researchers defined few female relatives as fewer than two on either the father's or mother's side of the family.
Women who were adopted and don't know their family medical history should be aware of the findings, Weitzel said. Women whose female relatives died young before breast cancer had time to show up also are affected.

http://www.detnews.com/apps/pbcs.dll/article?AID=/20070620/LIFESTYLE03/706200392/1040

segunda-feira, junho 18, 2007

De volta!

Olá. Estou de volta. Fui à Polónia: aterrei em Varsóvia e estacionei durante uns dias em Ruciane-Nida, na zona dos lagos a norte. Lindo!

Ainda não vi todas as novidades, mas já li as "peripécias" da nossa amiga Buba. E que peripécias... Felizmente, parece que conseguiu uma consulta para esclarecer os próximos passos dos seus tratamentos.

Daqui vai um apelo ao sistema de saúde (que é feito de pessoas e pelas pessoas) para dar importância ao diálogo com os doentes. Não é só por ser um direito fundamental (isso nem tem discussão...) mas um doente esclarecido, que se sente acompanhado e compreendido nas suas inseguranças e incertezas, é um parceiro na cura.

Portanto, este post é dedicado à Buba, esperando que tudo avance de acordo com o seu maior bem.

terça-feira, junho 12, 2007

1 mês... Avé Maria

domingo, junho 10, 2007

O herói dentro de nós...

Muito obrigada por perguntarem por mim. Não tenho dado notícias, mas estou bem. Voltarei em breve com novidades ! Até lá...


segunda-feira, junho 04, 2007

A Cláudia hoje faz anos