É só mais um bocadinho!

segunda-feira, fevereiro 26, 2007

O Almoço das Galinhas!

Tenho uma amiga nos Estados Unidos com quem me correspondi durante um ano sem que nos conhecêssemos. Quando, finalmente, ela veio a Portugal, passava o tempo a dizer: Oh my God, you are real! Oh my God, you are real!

Apetece-me dizer o mesmo relativamente a todas as bloguistas que conheci no nosso Almoço das Galinhas: Oh my God, you are real!!!

Até que enfim vejo um rosto em cada nome de quem me habituei a acompanhar, a desejar que estivesse bem, a ficar feliz com as suas vitórias... E a ficar pesarosa com os dias menos bons...

Para fazer jus ao título, não faltou uma lata de milho doce, como podem comprovar pela imagem anexa...!!!



Para o ano que vem, só mesmo a FIL para albergar as centenas de pessoas que não vão querer perder este grande evento nacional...

A todas e todos que participaram, muito obrigada e, em próximo post, mostrarei o comprovativo do nosso apoio à Ajuda de Berço.

Até pró ano !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!




segunda-feira, fevereiro 19, 2007

1º Aniversário !


O É só mais um bocadinho! já tem um ano...
Obrigada por terem estado por aí. Para mim tem sido muito importante.
Beijinhos

quinta-feira, fevereiro 08, 2007

Vitamina D diminui muito o risco de cancro

Fonte: PortugalDiário on-line
A vitamina D reduz até 50 por cento o risco de cancro da mama e mais de 66 por cento o de contrair cancro colorrectal, segundo dois estudos publicados esta terça-feira nos Estados Unidos, refere a Lusa.
A investigação sobre o impacto da vitamina C no cancro da mama, divulgada na edição electrónica do Journal of Steroid Biochemistry and Molecular Biology, baseia-se no acompanhamento de 1.750 pessoas submetidas a doses diferentes da vitamina.
Estes investigadores do Centro Moores sobre cancro da Universidade da Califórnia em San Diego mostraram que indivíduos com concentração mais elevada de vitamina D no sangue (52 nanogramas por mililitro de sangue) correm menos riscos de desenvolver cancro da mama.
«Pode reduzir-se em 50 por cento o risco de cancro da mama através do consumo diário de 2.000 unidades internacionais de vitamina D (ou seja uma concentração de 46 nanogramas por mililitros de sangue), acompanhado de 10 a 15 minutos de exposição solar por dia», afirma Cedric Garland, um dos autores do estudo.
Paralelamente, o American Journal of Preventive Medicine publicou hoje os resultados de uma análise semelhante feita com 1.448 pessoas para medir os efeitos da vitamina D no risco de cancro colorrectal.
«Elevando a dose de vitamina D absorvida diariamente de 13 para 34 nanogramas por mililitro, a incidência do cancro colorrectal seria reduzida a metade» , declarou um dos autores do estudo, Edward Gorham.
«O risco baixa dois terços com uma concentração de 46 nanogramas/ml», acrescentou, precisando que este nível pode ser atingido com complementos vitamínicos e uma exposição solar de 10 a 15 minutos por dia.
Entre os alimentos mais ricos em vitamina D estão a gema de ovo, o óleo de fígado de peixe, as sardinhas em lata, o leite enriquecido, a margarina e as manteigas enriquecidas.

domingo, fevereiro 04, 2007

Nós!

Oh pra nós as duas à beira da água !!!
E quem somos nós as duas, perguntarão vocês. Pois sou eu e a Alda!

Nós, que nunca nos tínhamos visto, nem sabíamos que a outra existia, conhecemo-nos neste blog e aquilo que temos em comum (cancro da mama…) despertou as outras coisas todas que também tínhamos em comum e não sabíamos. Palavra puxa palavra (neste caso, palavra escrita) e acabámos por nos encontrar como velhas amigas que, no entanto, estão a aprender a conversar uma com a outra.

Depois do primeiro encontro, foi-se desenhando um almoço para partilharmos a família, conversarmos com mais tempo, comermos uns petiscos… Enfim, coisas simples de pessoas simples…

E foi hoje ! Hoje, fomos almoçar, levámos os maridos, os filhos da Alda também estiveram connosco, passeámos um pouco e despedimo-nos até daqui a 3 semanas.

Esta narrativa não tem nada de especial; nem mereceria estar neste blog se não fosse por ter sido aqui que nasceu esta amizade feita de experiências em comum, embora vividas em separado. É tremendamente reconfortante saber que hoje ainda é possível encontrar amigos no meio de desconhecidos. E na Internet são desconhecidos mesmo; nem conseguimos ver-lhes a cara. E mesmo assim, a nossa vivência aproxima-nos e faz-nos querer conhecer.

Obrigada Alda, obrigada Zé Manel por nos abrirem a vossa casa, por nos levarem a almoçar a um sítio espectacular e principalmente por estarem aí e, com sinceridade e simplicidade, abrirem o vosso coração.

Como se diz nas Beiras: Bem hajam!